You are here

Calor e chuvas intensas marcam o final da estação do verão

Nesta sábado (10 e 11/03), a passagem de uma depressão extratropical do Pacífico, muito intensa com 965 hPa, longe da costa,  formou uma frente fria entre os países vizinhos que fazem divisa com o estado do RS e provocará pancadas de chuva, acompanhadas de descargas elétricas, rajadas de ventos,  queda de granizo ocasional e pontuais acumulados significativos de precipitação em grande parte do centro-norte do RS e em SC. Também ocorrerá pancadas de chuva localmente fortes, em grande parte da Região Norte e em grande parte do MA, PI e do CE e no centro-sul de GO associadas à ZCIT (Zona de Convergência Intertropical).

Os modelagens ECMWF e ETA mudaram suas projeções e indicam a permanência da ASAS (Alta Subtropical do Atlântico Sul) no Sudeste e principalmente entre os estados de SP (menor bloqueio), RJ e ES (intenso), que contribui para forte onda de calor, além da TSM (Temperatura de Superfície do Mar), que também auxilia nesta manutenção diferentemente do que é publicado pelos veículos do governo.  Somente para o início da próxima semana que teremos chances de chuvas e temperaturas mais amenas por um curto período.  A ASAS deverá se intensificar já, a partir desta semana, por volta do dia 15/03.

TSM (Temperatura de Superfície do Mar) INPE

Durante este final de semana, domingo, 12/03, um novo sistema de baixa pressão se formará entre os países vizinhos, divisa com os estados do RS, SC e PR, e novas condições de tempo severo poderão se estabelecer entre os estados do Sudeste, principalmente entre SP e MG. Segundo as modelagens GFS-NOAA, há chance para chuvas no período da tarde associadas à umidade da amazônia, que provocará  tipicas tempestades de verão com maior chance sempre no período da tarde.

Sobre a maior parte do Sudeste e Centro-Oeste, a configuração da circulação anticiclônica em níveis médios dificultará a formação de nebulosidade convectiva por conta das temperaturas elevadas e do resquício de umidade. Ocorrerão pancadas de chuva típicas de verão em pontos isolados. O Cavado do Nordeste se amplificará e dará origem ao VCAN (Vórtice Ciclônico Alto Níveis), que atuará centrado entre o litoral da Bahia e Espírito Santo na próxima semana na faixa entre o AP e norte do Nordeste. A ZCIT (Zona de Convergência Intertropical) manterá sua influência e dará condição para chuvas persistentes que poderão gerar acumulados significativos de precipitação (forte). Os modelos não são unânimes para condição de um tempo mais fresco.

Predições da Semana RJ:

O retorno e fluxo de Leste se intensificam e a borda da ASAS pode provocar tempestades nas regiões litorâneas, principalmente do Nordeste BA, ES, RJ e região Norte. Nuvens vindas do mar podem vir carregadas e ocasionar pancadas de chuvas localizadas. Os modelos apresentam distribuição convergente da precipitação para os próximos dias com um padrão de chuvas mais generalizado e temporais sobre o Sul do Brasil durante o fim de semana.  No próxima semana, a precipitação estará mais concentrada sobre Centro-Oeste.

A partir deste sábado, (11/03) –  A depressão extratropical do Pacífico (sistema frontal) se afasta para o oceano e outra baixa pressão do norte da Argentina atuará com mais força e poderá provocar linhas de instabilidades sobre o noroeste do RS com o suporte do JBN (Jato de Baixos Níveis). As condições de tempo voltam a se instabilizar sobre a Região Sul, SP e MS. Existe chance para ventos costeiros de até 100 km/h na costa carioca!

Domingo, (12/03) – Nova baixa pressão se intensifica sobre a faixa entre o Uruguai e norte da Argentina, RS e parte de SC. Haverá condições para temporais com chuvas, descargas elétricas (intensas) talvez de forma isolada. Não se descarta chance para queda de granizo e rajadas de vento de até 100 km/h.

Segunda-feira, (13/03) – Depressão extratropical se forma na costa do Sul do Brasil, nova área de instabilidade se forma e grandes chuvas poderão ocorrer associadas à formação da Zona de Convergência. Estão previstos volumes de moderado à forte, acompanhadas de descargas elétricas, vendavais de até 100 km/h e eventual queda de granizo para parte do Centro-Oeste e Sudeste entre SP e Sul de MG, RJ maiores chances Sul do estado.

Terça-feira, (14/03) – Frente-fria chega no Sudeste e aumentam os riscos para temporais entre os estados de SP, RJ e Sul de MG. Os riscos de tempestades vespertinas voltam a ser altos, mesmo na Região Metropolitana do RJ, com chance das temperaturas ficarem mais amenas por um curto período;

Quarta-feira, (15/03) – Linhas de instabilidades ganham força e condições de chuvas se intensificam sobre o país. No início da tarde, pode haver chuvas localmente fortes e risco para tempestades no Sul do Brasil. No Sudeste, as maiores chances ficam para SP até a Serra da Mantiqueira, divisa entre os estados de MG e RJ Sul do estado.

Quinta-feira, (16/03) – Pode continuar chovendo devido aos ventos úmidos vindos do oceano e empurrados pelo retorno de Leste e a borda da ASAS que pode provocar tempestades vespertinas. A queda da temperatura, anteriormente prevista como significativa, já não é muito notória e as chances aumentam para uma canícula no RJ.

Sexta-feira, (17/03) – ASAS cede para a passagem da terceira frente-fria no Sul do Brasil. Os modelos não são unânimes para estas possibilidades. Tempo mais aberto mas com temperaturas mais suportáveis no RJ.

Novos informes podem ser atualizados caso tenham mudanças significativas nos modelos GFS .

Colaboração do Professor Douglas V. O. Lessa Paleontólogo do Clima.
Fonte de pesquisa: NOAA/National Hurricane Center (NHC- EUA), GFS, GEM, INMET, INPE, Windyty, Marinha do Brasil.

Deixe uma resposta

Top