You are here
Home > Notícias

Operção do Exército na BR-163 em Itaituba, Pará

Itaituba- Pará, Brasil- O Exército transportou para Itaituba, em um avião Hércules, e de lá para as áreas atingidas, em caminhões de campanha, mais de 730 cestas básicas. É a quarta remessa de um total de quase quatro mil. Também foram levados para os locais críticos e para os caminhoneiros mais de 2.500 garrafões de água.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O Exército transportou para Itaituba, em um avião Hércules, e de lá para as áreas atingidas, em caminhões de campanha, mais de 730 cestas básicas. É a quarta remessa de um total de quase quatro mil. Também foram levados para os locais críticos e para os caminhoneiros mais de 2.500 garrafões de água.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O Exército transportou para Itaituba, em um avião Hércules, e de lá para as áreas atingidas, em caminhões de campanha, mais de 730 cestas básicas. É a quarta remessa de um total de quase quatro mil. Também foram levados para os locais críticos e para os caminhoneiros mais de 2.500 garrafões de água.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O Exército transportou para Itaituba, em um avião Hércules, e de lá para as áreas atingidas, em caminhões de campanha, mais de 730 cestas básicas. É a quarta remessa de um total de quase quatro mil. Também foram levados para os locais críticos e para os caminhoneiros mais de 2.500 garrafões de água.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O Exército transportou para Itaituba, em um avião Hércules, e de lá para as áreas atingidas, em caminhões de campanha, mais de 730 cestas básicas. É a quarta remessa de um total de quase quatro mil. Também foram levados para os locais críticos e para os caminhoneiros mais de 2.500 garrafões de água.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O Exército transportou para Itaituba, em um avião Hércules, e de lá para as áreas atingidas, em caminhões de campanha, mais de 730 cestas básicas. É a quarta remessa de um total de quase quatro mil. Também foram levados para os locais críticos e para os caminhoneiros mais de 2.500 garrafões de água.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O Exército transportou para Itaituba, em um avião Hércules, e de lá para as áreas atingidas, em caminhões de campanha, mais de 730 cestas básicas. É a quarta remessa de um total de quase quatro mil. Também foram levados para os locais críticos e para os caminhoneiros mais de 2.500 garrafões de água.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163, no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias. Se não bastasse o retorno das chuvas, uma carreta (foto) deslizou, tombou e ficou atravessada na estrada.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163, no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias. Se não bastasse o retorno das chuvas, uma carreta (foto) deslizou, tombou e ficou atravessada na estrada.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Depois de uma trégua de dois dias, as chuvas intensas de sábado (4) e domingo (5) na região cortada pela rodovia BR-163 (foto), no município de Trairão, provocaram novo atoleiro no trecho onde o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT) mantém homens e máquinas trabalhando na pista, que ficou intrafegável por quase 20 dias.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Em Itaituba (foto), município vizinho a Trairão, o problema vem afetando a principal atividade econômica daquela área. Os temporais, as enxurradas, a erosão e a precária condição das pontes de madeira na rodovia estadual conhecida como Transgarimpeira deixaram quase dez mil pessoas isoladas.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Em Itaituba (foto), município vizinho a Trairão, o problema vem afetando a principal atividade econômica daquela área. Os temporais, as enxurradas, a erosão e a precária condição das pontes de madeira na rodovia estadual conhecida como Transgarimpeira deixaram quase dez mil pessoas isoladas.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Em Itaituba (foto), município vizinho a Trairão, o problema vem afetando a principal atividade econômica daquela área. Os temporais, as enxurradas, a erosão e a precária condição das pontes de madeira na rodovia estadual conhecida como Transgarimpeira deixaram quase dez mil pessoas isoladas.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Em Itaituba (foto), município vizinho a Trairão, o problema vem afetando a principal atividade econômica daquela área. Os temporais, as enxurradas, a erosão e a precária condição das pontes de madeira na rodovia estadual conhecida como Transgarimpeira deixaram quase dez mil pessoas isoladas.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Mas se na BR a situação ainda é incerta, na PA uma decisão já foi tomada e comunicada aos representantes das comunidades existentes ao longo dos quase 200 quilômetros da Transgarimpeira. O engenheiro Kleber Menezes (foto), secretário de Transportes do Pará, já está tratando da licitação para a contratação da obra que acabará com o isolamento daquelas áreas de garimpo, que respondem pela produção de 300 quilos de ouro por mês.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- Mas se na BR a situação ainda é incerta, na PA uma decisão já foi tomada e comunicada aos representantes das comunidades existentes ao longo dos quase 200 quilômetros da Transgarimpeira. O engenheiro Kleber Menezes (foto), secretário de Transportes do Pará, já está tratando da licitação para a contratação da obra que acabará com o isolamento daquelas áreas de garimpo, que respondem pela produção de 300 quilos de ouro por mês.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O acordo dos usuários do Porto de Miritituba (foto) com o Ministério dos Transportes, para que fosse suspenso o tráfego de carretas até que o DNIT concluísse a obra, estava sendo cumprido até sábado, mas pelo menos uma empresa já não o obedece – o que piora a situação.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O acordo dos usuários do Porto de Miritituba (foto) com o Ministério dos Transportes, para que fosse suspenso o tráfego de carretas até que o DNIT concluísse a obra, estava sendo cumprido até sábado, mas pelo menos uma empresa já não o obedece – o que piora a situação.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O acordo dos usuários do Porto de Miritituba (foto) com o Ministério dos Transportes, para que fosse suspenso o tráfego de carretas até que o DNIT concluísse a obra, estava sendo cumprido até sábado, mas pelo menos uma empresa já não o obedece – o que piora a situação.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O acordo dos usuários do Porto de Miritituba (foto) com o Ministério dos Transportes, para que fosse suspenso o tráfego de carretas até que o DNIT concluísse a obra, estava sendo cumprido até sábado, mas pelo menos uma empresa já não o obedece – o que piora a situação.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O acordo dos usuários do Porto de Miritituba (foto) com o Ministério dos Transportes, para que fosse suspenso o tráfego de carretas até que o DNIT concluísse a obra, estava sendo cumprido até sábado, mas pelo menos uma empresa já não o obedece – o que piora a situação.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O acordo dos usuários do Porto de Miritituba (foto) com o Ministério dos Transportes, para que fosse suspenso o tráfego de carretas até que o DNIT concluísse a obra, estava sendo cumprido até sábado, mas pelo menos uma empresa já não o obedece – o que piora a situação.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O acordo dos usuários do Porto de Miritituba (foto) com o Ministério dos Transportes, para que fosse suspenso o tráfego de carretas até que o DNIT concluísse a obra, estava sendo cumprido até sábado, mas pelo menos uma empresa já não o obedece – o que piora a situação.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

06/03/2017-Itaituba- Pará, Brasil- O acordo dos usuários do Porto de Miritituba (foto) com o Ministério dos Transportes, para que fosse suspenso o tráfego de carretas até que o DNIT concluísse a obra, estava sendo cumprido até sábado, mas pelo menos uma empresa já não o obedece – o que piora a situação.
Foto: Mácio Ferreira / AG. PARÁ

Deixe uma resposta

Top