You are here

Semana marcada por chuvas intensas e calor

O começo da semana foi marcada por forte onda de calor e tempestades severas nos estados do Sudeste associadas à formação da ZCOU (zona de convergência de umidade). Segundo os modelos, desde o último dia 15/01 linhas de instabilidade se intensificaram sobre as cidades do Rio, Niterói e Zona Oeste do estado, Uberlândia (MG) e cidades de SP, no período da tarde e ao anoitecer, que vieram acompanhadas de chuvas fortes (70 mm/h), descargas elétricas, vendavais e queda de granizo, causando transtornos e prejuízos às populações de pelo menos 92 cidades de São Paulo, que ficaram em estágio de atenção, e outras 83 cidades em observação.

 

Nesta sexta-feira (20/01) e nos próximos seis dias, uma Zona de Convergência de Umidade, que foi determinada a partir de hoje como Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), continuará atuando desde o sul da Região Norte até o Sudeste, entre SP e RJ. Este sistema meteorológico contribui para as pancadas de chuva em grande parte da Região Centro-Oeste, SP, sul do RJ, sul de MG, Triângulo Mineiro. O escoamento da Alta da Bolívia (AB), encontra-se deslocado para latitudes mais ao sul de sua posição climatológica, e de um cavado presente desde o PR ao sul do MT, gerando divergência em altitude, favorecendo a convergência em baixos níveis, contribuindo para a instabilidade presente sobre parte de SP, Triângulo Mineiro e MS. Segundo o INPE, a ZCAS está formada e poderá causar grandes volumes de chuvas, acima da média, sobre as cidades do Sudeste.

 

Grandes volumes de chuva poderão afetar o RJ (região Sul, Serrana e Norte) até 28/01/2017. Riscos potenciais para enchentes também no estados de Minas Gerais e São Paulo, que poderão acarretar descargas elétricas, vendavais de 100 km/h e queda de granizo associado às linhas de instabilidades (LI) que são conhecidas por nuvens convectivas. Os aglomerados de nuvens são classificados como SCM (sistema convectivo mesoeslaca) ou CCM (complexo convectivo mesoescala).

INMET, os Modelos GFS apontam para a formação da ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) sobre as regiões do Sudeste e Centro-Oeste que poderá causar fortes impactos para a população, como ocorreu durante a semana e foi registrado em várias cidades.

Nesse momento o satélite Rindat confirma a posição da ZCAS sobre o Brasil:

Áreas afetadas de São Paulo e Mato Grosso do Sul para 543 municípios: Regiões do Vale do Paraíba, Piracicaba, Campinas, Capital, Litoral Norte, Regiões de Bragança Paulista e Sul do estado de São Paulo.

Aviso para as áreas: Leste Sul-Mato-Grossense, Campinas, Bauru/Araraquara/Piracicaba, Itapetininga, Ribeirão Preto, Araçatuba/São José Do Rio Preto, Sorocaba / Bragança Paulista, Presidente Prudente/Marília/Assis, Sul e Sudoeste Sul-Mato-Grossense, Pantanal Sul-Mato-Grossense, Centro Norte Sul-Mato-Grossense.

Áreas afetadas de possíveis impactos para 59 municípios do RJ:
Baixadas Litorâneas, Metropolitana Do Rio De Janeiro, Norte Fluminense, Médio Paraíba, Centro Sul Fluminense, Serrana Fluminense.

Áreas afetadas de possíveis impactos para 192 municípios do MG:
Triangulo Mineiro/Alto Paranaíba, Oeste Mineiro, Triangulo Mineiro/Alto Paranaíba, Campo das Vertentes de Minas, Oeste Mineiro, Sul/Sudoeste Mineiro.

Instruções: Coloque em lugares altos seus móveis e utensílios (bem protegidos). Desligue aparelhos elétricos e o quadro geral de energia. Se observar rachaduras nas residências, procure abrigos municipais. Se identificado rachaduras no terreno, coloque lona plástica para evitar que a água infiltre nas rachaduras. Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

 

Modelos GFS indicam para a possibilidade da ZCAS se intensificar até (25/01) ou em 120 horas em grandes volumes e poderá causar enchentes, inundações e deslizamentos de terra entre as regiões da Serra da Mantiqueira SP, MG e RJ (região Sul do estado) incluindo Angra do Reis, Baixada Fluminense, Zona Oeste (talvez), Serrana e dos Lagos.

Predições/Estimativas da semana:

Sábado, domingo e segunda-feira, de (21 à 23/01) – Permanece um tempo muito nublado com risco de tempestades esparsas ao entardecer.

Terça-feira, (24/01) – Mais claro e um aumento do abafamento. Risco de tempestades vespertinas devido a reaproximação do cavado empurrado por uma frente fria associada à formação de um ciclone extratropical no Sul do Brasil.

Quarta-feira, (25/01) – Muitas nuvens e risco de chuva a qualquer hora, as pancadas se intensificam no final da tarde;

====== ATENÇÃO INTENSIFICAÇÃO DA ZCAS ======

Quinta-feira, (26/01) (incerto) – Incerto, mas atenção: o corredor de umidade chega de vez à Região Metropolitana do RJ e pode causar acumulados de chuva muito altos e expressivos a partir da tarde;

Sexta-feira, (27/01) (incerto) – Alto risco de grandes volumes de chuva até o fim da manhã ou início da tarde a medida que o corredor da ZCAS atravessa o RJ. Diminuição da chuva após, mas os ventos esfriam e podem trazer chuvas do oceano;

A partir de sábado, (28/01) até a próxima semana (incerto) – Permanece tempo fechado com o ar fresco e possíveis chuvas associadas à umidade do oceano. O corredor de umidade (ZCAS ou ZCOU) se instala sobre o norte do RJ ou ES.

Contribuição do Prof. V.O. Lessa Paleontólogo do Clima.
Fontes: NOAA, GFS, Windyty, INMET, INPE

Deixe uma resposta

Top