You are here

ASAS e chuvas intensas continuam no mês de Janeiro

Os modelos indicam o enfraquecimento do anticiclone (ou alta) subtropical do Atlântico Sul (ASAS) para o fim de semana. Ao mesmo tempo, as chuvas se intensificam sobre o Sul e Sudeste. O RJ vai ter um aumento significativo de baixas pressões (tempestades) devido a formação da alta pressão nos Andes e da ASAS no mar, que está gerando um sistema conhecido como “cavado” na costa do RJ. Mesmo assim, por divergências nos modelos, não está garantido o fim do calor extremo.

Linhas de instabilidade marcam a primeira semana de janeiro, com chuvas intensas provocando impactos às populações entre as cidades do Sudeste, associadas à umidade da Amazônia (JBN) e cavado. Área de baixa pressão relativa sobre o Atlântico entre as Regiões do Sul e Sudeste do Brasil, mais especificamente, entre RJ e SP. A presença do referido sistema contribuiu no período da tarde para pancadas de chuvas localmente fortes e de grande intensidade no leste do PR e sul de SP, que vieram acompanhadas de descargas elétricas intensas, rajadas de ventos acima de 100 km/h e queda de granizo entre o Oeste de SC, PR Centro-Oeste e Norte de SP, Centro-leste MS, áreas do centro-sul de MG e regiões Serrana, baixada, capital e litoral sul do RJ, associados à divergência em altitude da circulação da VCAN (Vórtice Ciclônico Alto Níveis), conforme o ocorrido em Belém-PA, no ano passado.

A TSM (temperatura de superfície do mar) permanece com temperaturas elevadas na costa do Sudeste, colaborando para que as temperaturas sobre as cidades costeiras do Sul e Sudeste do Brasil permaneçam altas e com muitos fenômenos atmosféricos.

 

Predições/Estimativas da semana:

Sábado, 07/01 – Sol, muitas nuvens e calor marcam a chegada de baixas pressões violentas (tempestades) esparsas entre à tarde e o anoitecer (sempre maior no interior). Aumentando a incidência de tempestades vespertinas. Entretanto, elas ainda podem ser esparsas e nada do calor ceder (ASAS ainda forte e fluxo de norte);

Domingo, 08/01 – O Cavado se afasta e o calor volta a ficar canicular. Há risco de tempestades para o interior, com menores chances para capital. O pré-frontal sede para a ASAS;

Segunda-feira, 09/01 – Talvez ocorra uma ligeira mudança para um tempo mais instável com muitas nuvens e calor muito abafado. Porém, os riscos de tempestades permanecem para o litoral e passam a ser altos.

Terça-feira 10/01 – Muito nublado e abafado, risco de pancadas de chuva localmente fortes, associadas às tempestades a qualquer hora do dia, até o litoral;

Quarta-feira, 11/01 – Semelhante a terça-feira. Muitas nuvens, calor abafado e risco de algumas pancadas de chuvas. ASAS volta a querer fortalecer bem longe do Rio de Janeiro. Estão previstas algumas pancadas de chuva.

Quinta-feira, 12/01 (divergências) – A alta pressão andina se desenvolve e junto com a ASAS devem favorecer à incidência de fortes tempestades. Forte onda de calor e abafamento, aumentando os riscos de tempestades para todas as regiões.

Sexta-feira, 13/01 (divergências) – O sistema de cavado permanece ativo e os riscos de tempestades continuam altos para as regiões costeiras do eixo RJ e SP. O calor não cede.

Sábado, 14/01 em diante (divergências) – A alta nos Andes dissipa, mas a ASAS não, voltando a se movimentar para a direção do RJ, empurrando o sistema de cavado para Oeste (SP, sul de MG e MS). O RJ terá somente o CALOR, porque os riscos de tempestades ficam mais baixos ao longo da semana.

Contribuição do Prof. V.O. Lessa Paleontólogo do Clima.
Fontes: NOAA, GFS, Windyty, INMET, INPE, Epagri, Rindat

Deixe uma resposta

Top