You are here

Chuvas intensas e calor marcam a entrada do verão

O Verão iniciará às 07h44 do dia 21 de dezembro de 2016 , no Hemisfério Sul. É caracterizado por dias mais longos que as noites e mudanças rápidas nas condições diárias do tempo, levando à ocorrência de chuvas de curta duração e forte intensidade, principalmente no período da tarde. Considerando o aumento da temperatura do ar sobre o continente, as chuvas são acompanhadas por trovoadas e rajadas de vento, em particular nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país.

12-12-2016-24-inmet-noaa_012

Estas chuvas podem estar associadas à passagem de ciclones (sistemas frontais) e à formação do sistema meteorológico conhecido por Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), cuja principal característica é a ocorrência de chuvas por vários dias, resultando em enchentes e deslizamentos de terra. Já no Nordeste, as chuvas atingem valores máximos no mês de fevereiro. É comum a ocorrência de “veranicos” (períodos de estiagem com duração de 7 a 15 dias).

11-12-2016-gfs_192_ams0_apc

Os Modelos GFS apontam para a formação da ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) sobre as regiões do Sudeste e Centro-Oeste que poderá causar fortes impactos para a população destas áreas, como ocorreu durante a semana e registrado em várias cidades.

15-12-2016_altobolivia_012

Grandes volumes de chuva poderão afetar o RJ (região Sul, Serrana e Norte) até 20/12/2016. Riscos potenciais para alagamentos nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo e Bahia, que poderão acarretar descargas elétricas, vendavais de 100 km/h e queda de granizo associado as linhas de instabilidades (LI), são conhecidas por nuvens convectivas. Os aglomerados de nuvens são classificados como  SCM (sistema convectivo mesoeslaca) ou CCM (complexo convectivo mesoescala).

12-12-2016-24-inmet-noaa

Área afetada:
Aviso para as áreas: Vale Do Mucuri, Sul Baiano, Vale Do Rio Doce, Costa Verde, Noroeste Fluminense, Baixadas Litorâneas, Metropolitana Do Rio De Janeiro, Norte Fluminense, Vale Do Paraíba/Litoral Norte, Médio Paraíba, Centros sul Fluminense, Serrana Fluminense, Serrana Capixaba, Metropolitana De Vitória, Litoral Sul Capixaba, Central Sul/Caparaó Capixaba, Rio Doce Capixaba, Centro-Oeste Capixaba, Nordeste Capixaba, Noroeste Capixaba.

12-12-2016-inmet-noaa

Instruções: Coloque em lugares altos seus móveis e utensílios (bem protegidos). Desligue aparelhos elétricos, quadro geral de energia. Se observar rachaduras nas residências, procure abrigos municipais. Se identificado rachaduras no terreno, coloque lona plástica para evitar que a água infiltre nas rachaduras. Obtenha mais informações junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

12-12-2016-inmet-chuvas_012

 

Predições/estimativas da semana:

Segunda-feira, 12/12 – O calor abafado persiste e voltam as possibilidades de tempestades à tarde e/ou à noite devido ao calor e avanço da frente fria pro mar.  Os riscos dessas tempestades são altos no interior e baixos no litoral;

Terça-feira, 13/12 – O céu ficará um pouco mais claro, período da tarde poderá ser mais quente, porém a ZCAS, em formação no norte do estado do RJ, podem causar chuvas à tarde e/ou à noite.

ATENÇÃO

Quarta-feira, 14/12 – Intensificação da ZCAS, Alto da Bolívia (AB) e VCAN no NE do Brasil. Eixo de umidade muito intenso causando chuvas moderadas ao longo do dia (talvez mais isoladas no litoral), e no fim da tarde e noite, risco de chuvas localmente fortes com volumes muito grandes capazes de causar enchentes e deslizamentos;

Quinta-feira, 15/12 – Persistência de pancadas de chuva, sendo algumas fortes durante todo o dia;

Sexta-feira, 16/12 – A ZCAS enfraquece e volta o sol, mas continua úmido e pode haver pancadas de chuva. Um ar frio deve influenciar, dando um alívio ao calorão;

Próximo FDS, 18/12 – Tempo fresco, nova frente fria (ciclone extratropical com 984 hPa) avança para o alto mar, podendo chegar entre sábado/domingo ( 17/18/12), seguido de um tempo mais fresco e muito nublado, com riscos de pancadas locais.

Contribuição do Prof. V.O. Lessa Paleontólogo do Clima.
Fontes: NOAA /National Hurricane Center (NHC- EUA), Windyty, INMET, INPE-ETA, Marinha do Brasil.

Deixe uma resposta

Top