You are here

Depressões extratropicais intensas na costa do RJ e SP associado a formação da ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul)

No início da semana foram registradas grandes linhas de instabilidades SCM/CCM associadas as baixas pressões da Amazônia, JBN (Jato de Baixos Níveis), que causaram tempestades severas entre os estados do Sudeste SP, RJ e MG de forma generalizada e associadas a formação da ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul). Um cavado cruzou os Andes nos últimos dias e deslocou para leste pelo interior do país, reforçando as áreas de instabilidades que causaram acumulados de chuva expressivos durante a semana em boa parte do Sul, Centro-Oeste e parte do Sudeste do Brasil, que vieram acompanhadas de chuva forte, descargas elétricas, ventos de 100 km/h e queda de granizo.

11-11-2016-inmet_011

Os modelos indicam uma atenção especial para o início da semana que vem e a partir deste domingo, 13/11. As pressões vão baixar em médios níveis associadas a baixa pressão em 700 hPa que avança do Centro-Oeste em direção ao Sudeste e poderá causar tempestades severas por vários estados associadas as Linhas de Instabilidades (LI) que podem produzir SCM (sistema convectivo mesoescala) ou CCM (complexo convectivo mesoescala) com chuva forte até 300 mm/dia, descargas elétricas, vendavais, queda de granizo e risco para formação de Microburts pelas regiões por ter uma atmosfera ciclônica.

12-11-2016-2345-noaa-inmet_01

As depressões vão agir sobre o SE do Brasil e uma delas vai ganhar força puxando a umidade da Amazônia sobre o continente. Seu centro passará ao Sul do estado Rio e regiões como Costa Verde, Serrana e dos Lagos. Os Volumes são muito altos e podem ser esperados para segunda-feira, 14/11. Os Ciclones vão para o mar e precipitam a ZCAS, cujo eixo da umidade deve ficar sobre o estado do ES região de divisa com a região Norte do RJ.

15-11-2016-depressao-wx_011

Os modelos demonstram para os próximos dias, entre 13 à 16/11, um cavado com vorticidade ciclônica sobre as cidades do Sudeste. Poderá causar grandes volumes de chuvas e acima da média do que é divulgado pelos órgãos. Podem vir acompanhados de fortes ventos costeiros, descargas elétricas e eventual queda de granizo. Existe risco de impactos para às populações devido aos altos índice associados a formação da ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul). Vale ressaltar, que os acumulados são muito preocupantes e alarmantes para os próximos dias, segundo projeções das agências NOAA e GFS.

12-11-2016-al_apccd_048_011

 Comparando Modelos INMET

12-11-2016-zcas-inmet_011

Comparando Modelos GFS

17-11-2016-gfs_132_ams0_apc

Comparando modelos WX

16-11-2016-gfs-wx_011

Comparando modelos NOAA

17-11-2016-126-noaa-gfs_011

Segunda rodada nos modelos GFS, mar de ressaca com ondas de 3.00 metros à principio entre os dias 14 e 16/11, modificando-se para Depressão Extratropical no Sul do Brasil com 992 hPa entre os dias 17 e 19/11, com ondas de 3.00 à 5.00 metros na costa do Sul Brasil ao Sudeste. Além do evento da super Lua que irá acontecer durante as datas e pode contribuir no aumento significativo e agitação marítima mais intensa do que o normal, divergência nos modelos.

Modelos GFS Wind. – RESSACA
Ciclone Extratropical com 1002 hPa na costa do Sudeste.

14-11-2016-ressaca-wind_011

Modelos GFS Wind. – RESSACA 2
Depressão Extratropical com 992 hPa na costa do Sul ao Sudeste.

17-11-2016-ressaca-gfs-wind_011

Entre os dia 15 e 18 /11, o centro de baixa pressão com 1002 hPa avança do ES para a costa do RJ divisa com SP. Os ventos costeiros serão fortes, as chuvas serão provavelmente muito pesadas e risco de enchentes, inundações e deslizamentos de terra são possíveis de ocorrerem devido aos acumulados e por muitos dias sem intervalos praticamente. Os modelos indicam que os ciclones extratropicais vão se fundir no mar, se tornando em uma grande Depressão Extratropical com 992 hPa. Avança para o mar e sua frente fria poderá chegar até o Nordeste divisa da Bahia e Sergipe dando origem a ZCOU (Zona de Convergência de Umidade) ou continuação da ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) por divergências nos modelos.

18-11-2016-138-noaa-gfs_011

Outra observação indica que haverá queda nas temperaturas e declínio gradativo em vários estados do Sul ao Sudeste do Brasil associada a Depressão Extratropical por ser muito intensa.

21-11-2016-pre-frontalwx_011

TSM – Temperatura de Superfície do Mar (INPE)

12-11-2016-noaa-inpe_011

 

PREDIÇÕES PARA A SEMANA:

Sábado, 12/11 – Uma frente fria no mar muda o vento. Entretanto, ela vai puxar umidade do continente e pancadas de chuva localmente forte podem cair em todas as regiões do RJ à noite;

ATENÇÃO RJ

Domingo, 13/11 – Tempo muito nublado ao longo do dia. As primeiras pancadas estão associado ao cavado em 700 hPa descendo do Centro-Oeste em direção ao Sudeste. A baixa pressão tem potencial para causar inundações, enchentes e deslizamentos de terra em alguns estados. A frente fria, ciclone extratropical, avança para alto mar e muito distante da costa precipita esse acumulado que deve chegar no período do final da tarde e madrugada.

Segunda-feira, 14/11 – Pode ser muito chuvoso o dia inteiro a medida que o centro ciclônico se aproxima. Se o centro da baixa pressão passar no Sul do RJ, todo o sul e centro do RJ vão receber chuvas muito volumosas em (200 mm) à principio, mesmo assim, existe risco para inundações generalizadas e quedas de barreiras;

Terça-feira, 15/11 – Alto risco de grandes volumes de chuvas no período da tarde e a noite com a baixa pressão em 1006 hPa sobre os estados.

Quarta-feira, 16/11Baixa pressão com 1005 hpa avança em direção ao mar. Tempestades podem ocorrer de forma generalizada entre a capital e a região Norte e dos lagos. Grandes volumes podem causar fortes impactos as populações. Os riscos permanecem como o dia anterior.

Quinta-feira, 17/11Ciclone Extratropical com 1002 hPa avança para o mar, trás grandes volumes ainda expressivos e chances para enchentes permanecem em todo o Sudeste e Centro-Oeste associada as LI (linhas de instabilidades). Pode ocorrer mudanças quanto as projeções da ida da baixa pressão que ganha o status de Extratropical.

Sexta-feira, 18 e 19/11 – O tempo ainda não melhora, continua muito nublado com risco de pancadas de chuvas vindas do oceano ou mesmo tempestades vindos do vale do Paraíba (RJ), divergência nos modelos. Muita chuva no ES, Norte de MG e Bahia, divergências nos modelos sobre a ZCAS/ZCOU associada a Depressão Extratropical.

O próximo fim de semana, ainda deverá ser chuvoso devido a manutenção de baixas pressões em níveis médios com projeções futuras para ZCAS quando chegar a Salvador.

Colaboração do Professor Douglas V. O. Lessa Paleontólogo do Clima.

Fonte de pesquisa NOAA, GFS, GEM, NAVAGEM, INMET, INPE, Windyty, WXBrasil, Marinha do Brasil.

2 thoughts on “Depressões extratropicais intensas na costa do RJ e SP associado a formação da ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul)

Deixe uma resposta

Top