You are here

Temperaturas altas e explosões solares

Forte onda de calor marca o início do mês de outubro após um domingo com temperaturas muito levadas de até 43°C , acima da média divulgada. Esta segunda-feira , 17/10, não começou muito diferente. Uma alta pressão, em níveis médios já desenvolvida, reduz a chuva no RJ ao longo de toda a semana, proporcionando maiores chances de pancadas de chuvas na região Serrana.

17-10-2016-hpa-windyty_010

Segundo a agencia NASA, ao longo da semana ocorreu uma explosão solar em 6 Kp em direção a Terra. A explosão de massa coronal, vista nas imagens dos satélites SDO, ocupa grande parte da face solar com um buraco coronal e a velocidade do vento (de 750 km/s, neste domingo, 16/10, agora atualizado para 661 km/s até 21/10) é considerada ainda alta , de acordo com medições feitas em tempo real por sensores a bordo dos satélites que medem a instabilidade da ionosfera.

21-10-2016-solar-2-nasa

Segundo o Centro de Previsão de Clima Espacial (SWPC) dos EUA, essa instabilidade poderá chegar entre os níveis de KP=7 para as próximas 24/48 horas com as consequências mostradas logo abaixo:

Possíveis danos da explosão solar em Kp :

Kp 6 – Moderado Sistemas de potência: Redes elétricas em latitudes elevadas podem sofrer alertas de variação de tensão. Se prolongadas, as tempestades podem danificar transformadores.

ATENÇÃO CLIMA

Nesta terça-feira, 18/10, o calor irá continuar forte associado ao bloqueio atmosférico e perpetuação do fluxo de norte (quente) que poderá ser desagradável para a cidade do Rio de Janeiro. A explosão solar pode elevar as temperaturas e causar um novo record de até 48º C.

Infelizmente os sites “oficiais” só levam em conta a velocidades do vento e as medições de suas bases meteorológicas. Existem outros fatores além disso que não são levados em conta e por diversas vezes a Sociedade Brasileira de Física contesta tais medições. Por isso, existe a discrepância nas medições de temperaturas por todo o país, principalmente no Sudeste que sofre a influência da AMAS (Anomalia do Atlântico Sul) e mais uma vez a população é a maior prejudicada por medições incorretas.

17-10-2016-bafodragao_010

Predições da Semana:

Terça-feira 18/10 – Ventos chegam durante a madrugada associados a baixa pressão no Sul do Brasil associado a umidade do mar, mas a perpetuação do fluxo de norte (quente) poderá ser desagradável. Existe risco de baixas pressões (tempestades) para à noite na região Costa Verde e Serrana.

Quarta-feira, 19/10 – O calor piora e o tempo se torna infernal a medida que o ar tórrido sobe de SP para o RJ. As temperaturas podem ultrapassar os 40°C.  No período da noite poderá ser o dia mais quente do ano.

Quinta-feira, 20/10 – No embalo da forte onda de calor “infernal”, dia anterior, as temperaturas podem subir ainda mais com risco de passar dos 40°C.

Sexta-feira, 21/10 – Continua o ar tórrido de NW, mas uma frente fria (ciclone) se aproxima e aumenta as nuvens, o que pode impedir um novo pico de calor extremo. Os riscos de baixas pressões (tempestades) voltam a aumentar entre a noite e a madrugada associadas ao corredor de umidade que se forma gradativamente (divergências).

Sábado, 22/10 – Predominante o céu e cheio de nuvens. As modelagens indicam a formação de um corredor de umidade sobre o Sudeste associado talvez a ZCOU (divergências nos modelos) pelos grandes volumes e acima da média. As chuvas poderão ser fracas e esparsas durante a passagem da frente fria (ciclone), divergências. Talvez as temperaturas finalmente despencam.

Colaboração do prof. Douglas V. O. Lessa Paleontólogo do clima

Fonte de pesquisa NOAA, GFS, Windyty e WxBrasil.

Deixe uma resposta

Top