You are here

Filas e falta de comida fazem PROCON atuar Comitê Rio 2016

Quem esteve nas instalações olímpicas  pôde sentir que a maior falha é a organização em coisas básicas. Falta de comida, de informação e filas, muitas filas. Tanto problema levou o Procon Estadual autuar o comitê organizador das Olimpíadas por problemas ocorridos no primeiro fim de semana de competições. No Parque Olímpico da Barra, por exemplo, a fila passou de um quilômetro de extensão. Muitos espectadores chegaram a perder o início de alguns jogos.

 

No Parque Olímpico de Deodoro, no sábado (06/08), havia apenas uma máquina de raio X para a vistoria dos torcedores, o que atrasou a entrada deles. No domingo (07/08) os espectadores levaram duas horas para entrar na Arena de Rugby.
 Na Barra e em Deodoro, foram registrados problemas também com a oferta de comida, grandes filas e alimentos acabando nos pontos de venda antes do término dos eventos. Houve relatos de que alguns quiosques não tinham troco. No Sambódromo e no Maracanãzinho, a situação foi ainda pior, pois nem lanchonete havia nestes locais.
 De acordo com a autuação do Procon Estadual, apesar de ter dimensão do tamanho do evento e do número de pessoas que ele atrairia, os organizadores não se preocuparam em suprir a demanda dos consumidores, tanto no acesso ao local quanto na oferta de alimentos. Os torcedores pagaram para assistir à integralidade das partidas e acabaram prejudicados por problemas no acesso às arenas.
 O comitê organizador dos Jogos tem 15 dias úteis, contados a partir do recebimento da notificação, para apresentar a sua defesa. Caso o prazo não seja cumprido ou os argumentos não sejam aceitos pelo Setor Jurídico do Procon Estadual, o comitê será multado. O valor máximo da multa, previsto pelo Código de Defesa do Consumidor, chega à casa dos R$ 9 milhões.

Deixe uma resposta

Top