You are here
Home > Notícias

A Crise se agrava no Rio de Janeiro e parte da TI da polícia civil do Rio de Janeiro acaba de pedir demissão

Os prestadores de serviço da parte de Tecnologia da Informação da polícia civil do Rio de Janeiro acabam de pedir demissão. São técnicos de banco de dados, terceirizados, com treinamento específico para o sistema atual e que para sua capacitação, demoram de dois a três anos para estarem devidamente capacitados.

Não recebem há cinco meses seus salários e benefícios pela empresa prestadora de serviços, PROL. A polícia civil já convocou policiais para fazerem provas para a TI, mas ainda não possuem profissionais capacitados e nem tempo para isso.
Delegados e agentes fizeram paralisação no RJ no dia 27/06/2016 (Foto: Divulgação)
Delegados e agentes fizeram paralisação no RJ no dia 27/06/2016 (Foto: Divulgação)
A TI da policia civil não tem condições de ficar na mão de policiais, pois corre o mesmo risco do que hoje ocorre com o funcionalismo público, ou seja, funciona muito mal e algumas áreas simplesmente não funcionam. Além disso, os policiais civis trabalham por escala e se fosse o caso de assumir a função, teriam que desfalcar muito o quadro de policias atuantes nas delegacias, deixando de atuarem na sua atividade fim.
Existe a possibilidade de todos os terceirizados da TI pedirem demissão em massa por estes dias e ai a crise no setor de segurança pública do Estado será ainda pior do que já está. Hoje falta tudo nas delegacias, de material de expediente a serviços de limpeza e escassez de combustível. Os policiais só possuem apoio de informática agora direto com a TI e sem a TI vai acabar manutenção do sistemas, estatísticas de segurança, correções, melhorias e assim por diante, e pior, pode haver perda de sistema em caso de falha grave de equipamento de banco que não venha a ser corrigida em tempo, atropelando e possibilitando a perda de dados nas delegacias que podem simplesmente parar, obrigando a liberação presos em flagrante e falta de comunicação com o MP, entre outros absurdos. A chefia da polícia civil deve se reunir talvez ainda hoje para avaliar a situação.
No final do mês de junho, houve uma paralisação dos policiais civis e foi divulgada essa nota:

comunicado

A informação foi passada por uma fonte da revista e que prefere não ser identificada.

Deixe uma resposta

Top