You are here
Home > Cultura

Exposição Vias do Coração no Museu da Vida, no Castelo da Fiocruz, no Rio de Janeiro

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

04/06/2016- Rio de Janeiro- RJ, Brasil- Exposição Vias do Coração no Museu da Vida, no Castelo da Fiocruz, divulga o conhecimento sobre o coração, para estimular a prevenção das doenças cardiovasculares.

Até 25 de junho, a exposição interativa Vias do Coração pode ser visitada no Museu da Vida, no Castelo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Desde a semana passada no campus de Manguinhos da instituição, na zona norte do Rio de Janeiro, a mostra itinerante é inspirada nos modelos internacionais de museus científicos, reunindo painéis, conteúdos eletrônicos, vídeos e atividades lúdicas sobre o coração e a prevenção de doenças.

O biólogo do Museu da Vida Miguel de Oliveira, que participou da revisão científica da exposição, explica que o foco é a hipertensão e o diabetes. No entanto, para entender essas doenças, ele diz que é preciso primeiro conhecer melhor o sistema circulatório.

“A gente faz uma viagem no sistema circulatório, vendo detalhes sobre o funcionamento do coração, do que é feito o sangue, como está construído o sistema circulatório, para onde ele leva os nutrientes, de onde ele traz o lixo da célula, as coisas que não prestam mais. Tudo isso para entender o que é a hipertensão, doença crônica que acomete várias pessoas no mundo, uma das causas de morte mais sérias na população, e o diabete tipo 1 e tipo 2”, declara Oliveira.

A exposição também traz a explicação de conceitos como insulina e glicemia, além de dicas para conviver com as doenças. “A mostra vai focar em cima da hipertensão e do diabetes, como evitar essas doenças. Primeiro, entender o que são essas doenças, o que se pode fazer para controlá-las e como conviver com elas, tendo uma forma de vida saudável, fazendo exercícios, comendo comida de qualidade, equilibradamente”, acrescenta o biólogo.

São nove estações com atividades lúdicas e linguagem acessível. Entre as atrações está um coração gigante que mostra com som amplificado as diferentes frequências do batimento cardíaco, de acordo com a situação da pessoa, como em repouso ou fazendo exercício físico. Outra instalação calcula quantas vezes seu coração bateu desde o seu nascimento.

A mostra foi criada em 2008 no modelo itinerante, dentro do projeto Ciência Móvel da Fiocruz. Ela já passou por dez cidades e foi vista por 155 mil pessoas.

 

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Foto: Tomaz Silva/ Agência Brasil

Deixe uma resposta

Top