You are here
Home > Notícias

Sesp apresenta resultado da ‘Operação Serra da Borda’, que embargou garimpos ilegais no município de Pontes e Lacerda

Pontes e Lacerda- MT, Brasil- Representantes das forças de segurança estadual e federal apresentaram, na manhã desta sexta-feira (22.01), em coletiva à imprensa na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), o balanço da desocupação do garimpo ilegal do município de Pontes e Lacerda (a 448 km de Cuiabá). A “Operação Serra da Borda” mobilizou aproximadamente 500 profissionais da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Batalhão de Operações Especiais, Grupo Especial de Segurança na Fronteira, Ciopaer, cavalaria, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional, Ministério da Justiça, Ministério da Defesa, Exército Brasileiro e uma equipe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente.

É a segunda desocupação que acontece no município. Cerca de 4.500 garimpeiros ocupavam a região. A primeira foi realizada em 10 de novembro do ano passado, quando aproximadamente 7.000  pessoas trabalhavam na extração de ouro. A “Operação Serra da Borda” foi realizada entre os dias 04 e 16 deste mês e resultou em 35 garimpeiros presos em flagrante por delito por exploração ilegal e danos ambientais no local. A Polícia Militar também apreendeu sete geradores de energia, cinco detectores de metais, duas retroescavadeiras, entre outros equipamentos usados na atividade garimpeira.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Fábio Galindo Silvestre, enfatizou que o resultado positivo da operação é a soma dos esforços das forças de segurança estadual e federal. “É o novo modelo de trabalho em Mato Grosso, com a integração das forças. A execução da operação aconteceu em quatro etapas: ostensividade e negociação para a saída pacífica dos garimpeiros, seguido de montagem de barreiras físicas, desintrução e depois a ocupação por parte das forças federais”, destacou Galindo, ressaltando que a Polícia Militar vai continuar na região por tempo indeterminado e Polícia Judiciária Civil continuará com as investigações.

Galindo acrescentou ainda que todo o material apreendido na área será utilizado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública para enfrentamento a criminalidade. O general da 13ª Brigada da Infantaria Motorizada, José Carlos Avelar, enalteceu o trabalho das forças de segurança estadual. “Recebemos a área da Polícia Militar livre de garimpeiros. Vamos continuar apoiando no controle das vias de acesso para impedir novos acessos”, disse. “Houve o envolvimento de policiamento de outros comandos regionais para o cumprimento da decisão judicial. A missão da Polícia Militar continua forte com apoio e reforço para colaborar com a ordem pública”, falou o comandante da PM, coronel Gley Alves de Castro.

 

Lacerda- MS- Brasil- 22/01/2016- Representantes das forças de segurança estadual e federal apresentaram, na manhã desta sexta-feira (22.01), em coletiva à imprensa na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), o balanço da desocupação do garimpo ilegal do município de Pontes e Lacerda (a 448 km de Cuiabá). A “Operação Serra da Borda” mobilizou aproximadamente 500 profissionais da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Batalhão de Operações Especiais, Grupo Especial de Segurança na Fronteira, Ciopaer, cavalaria, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional, Ministério da Justiça, Ministério da Defesa, Exército Brasileiro e uma equipe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente. É a segunda desocupação que acontece no município. Cerca de 4.500 garimpeiros ocupavam a região. A primeira foi realizada em 10 de novembro do ano passado, quando aproximadamente 7.000  pessoas trabalhavam na extração de ouro. A “Operação Serra da Borda” foi realizada entre os dias 04 e 16 deste mês e resultou em 35 garimpeiros presos em flagrante por delito por exploração ilegal e danos ambientais no local. A Polícia Militar também apreendeu sete geradores de energia, cinco detectores de metais, duas retroescavadeiras, entre outros equipamentos usados na atividade garimpeira. O secretário de Estado de Segurança Pública, Fábio Galindo Silvestre, enfatizou que o resultado positivo da operação é a soma dos esforços das forças de segurança estadual e federal. “É o novo modelo de trabalho em Mato Grosso, com a integração das forças. A execução da operação aconteceu em quatro etapas: ostensividade e negociação para a saída pacífica dos garimpeiros, seguido de montagem de barreiras físicas, desintrução e depois a ocupação por parte das forças federais”, destacou Galindo, ressaltando que a Polícia Militar vai continuar na região por tempo indeterminado e Polícia Judiciária Civil c

Lacerda- MS- Brasil- 22/01/2016- Representantes das forças de segurança estadual e federal apresentaram, na manhã desta sexta-feira (22.01), em coletiva à imprensa na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), o balanço da desocupação do garimpo ilegal do município de Pontes e Lacerda (a 448 km de Cuiabá). A “Operação Serra da Borda” mobilizou aproximadamente 500 profissionais da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Batalhão de Operações Especiais, Grupo Especial de Segurança na Fronteira, Ciopaer, cavalaria, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional, Ministério da Justiça, Ministério da Defesa, Exército Brasileiro e uma equipe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente. É a segunda desocupação que acontece no município. Cerca de 4.500 garimpeiros ocupavam a região. A primeira foi realizada em 10 de novembro do ano passado, quando aproximadamente 7.000  pessoas trabalhavam na extração de ouro. A “Operação Serra da Borda” foi realizada entre os dias 04 e 16 deste mês e resultou em 35 garimpeiros presos em flagrante por delito por exploração ilegal e danos ambientais no local. A Polícia Militar também apreendeu sete geradores de energia, cinco detectores de metais, duas retroescavadeiras, entre outros equipamentos usados na atividade garimpeira. O secretário de Estado de Segurança Pública, Fábio Galindo Silvestre, enfatizou que o resultado positivo da operação é a soma dos esforços das forças de segurança estadual e federal. “É o novo modelo de trabalho em Mato Grosso, com a integração das forças. A execução da operação aconteceu em quatro etapas: ostensividade e negociação para a saída pacífica dos garimpeiros, seguido de montagem de barreiras físicas, desintrução e depois a ocupação por parte das forças federais”, destacou Galindo, ressaltando que a Polícia Militar vai continuar na região por tempo indeterminado e Polícia Judiciária Civil c

Lacerda- MS- Brasil- 22/01/2016- Representantes das forças de segurança estadual e federal apresentaram, na manhã desta sexta-feira (22.01), em coletiva à imprensa na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), o balanço da desocupação do garimpo ilegal do município de Pontes e Lacerda (a 448 km de Cuiabá). A “Operação Serra da Borda” mobilizou aproximadamente 500 profissionais da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Batalhão de Operações Especiais, Grupo Especial de Segurança na Fronteira, Ciopaer, cavalaria, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional, Ministério da Justiça, Ministério da Defesa, Exército Brasileiro e uma equipe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente. É a segunda desocupação que acontece no município. Cerca de 4.500 garimpeiros ocupavam a região. A primeira foi realizada em 10 de novembro do ano passado, quando aproximadamente 7.000  pessoas trabalhavam na extração de ouro. A “Operação Serra da Borda” foi realizada entre os dias 04 e 16 deste mês e resultou em 35 garimpeiros presos em flagrante por delito por exploração ilegal e danos ambientais no local. A Polícia Militar também apreendeu sete geradores de energia, cinco detectores de metais, duas retroescavadeiras, entre outros equipamentos usados na atividade garimpeira. O secretário de Estado de Segurança Pública, Fábio Galindo Silvestre, enfatizou que o resultado positivo da operação é a soma dos esforços das forças de segurança estadual e federal. “É o novo modelo de trabalho em Mato Grosso, com a integração das forças. A execução da operação aconteceu em quatro etapas: ostensividade e negociação para a saída pacífica dos garimpeiros, seguido de montagem de barreiras físicas, desintrução e depois a ocupação por parte das forças federais”, destacou Galindo, ressaltando que a Polícia Militar vai continuar na região por tempo indeterminado e Polícia Judiciária Civil c

Lacerda- MS- Brasil- 22/01/2016- Representantes das forças de segurança estadual e federal apresentaram, na manhã desta sexta-feira (22.01), em coletiva à imprensa na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), o balanço da desocupação do garimpo ilegal do município de Pontes e Lacerda (a 448 km de Cuiabá). A “Operação Serra da Borda” mobilizou aproximadamente 500 profissionais da Polícia Militar, Polícia Judiciária Civil, Batalhão de Operações Especiais, Grupo Especial de Segurança na Fronteira, Ciopaer, cavalaria, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional, Ministério da Justiça, Ministério da Defesa, Exército Brasileiro e uma equipe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente. É a segunda desocupação que acontece no município. Cerca de 4.500 garimpeiros ocupavam a região. A primeira foi realizada em 10 de novembro do ano passado, quando aproximadamente 7.000  pessoas trabalhavam na extração de ouro. A “Operação Serra da Borda” foi realizada entre os dias 04 e 16 deste mês e resultou em 35 garimpeiros presos em flagrante por delito por exploração ilegal e danos ambientais no local. A Polícia Militar também apreendeu sete geradores de energia, cinco detectores de metais, duas retroescavadeiras, entre outros equipamentos usados na atividade garimpeira. O secretário de Estado de Segurança Pública, Fábio Galindo Silvestre, enfatizou que o resultado positivo da operação é a soma dos esforços das forças de segurança estadual e federal. “É o novo modelo de trabalho em Mato Grosso, com a integração das forças. A execução da operação aconteceu em quatro etapas: ostensividade e negociação para a saída pacífica dos garimpeiros, seguido de montagem de barreiras físicas, desintrução e depois a ocupação por parte das forças federais”, destacou Galindo, ressaltando que a Polícia Militar vai continuar na região por tempo indeterminado e Polícia Judiciária Civil c

 

 

Foto: SESP/ MT

 

 

 

Deixe uma resposta

Top