You are here
Home > Notícias

Draco cumpre 9 mandados de prisão e 16 de busca e apreensão contra quadrilha acusada de fraudar mais de R$ 48 milhões em recursos públicos

Cerca de 85 agentes participam da operação, que é feita pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (Draco/IE), em apoio ao Grupo de Atuação Integrada na Saúde e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ).

De acordo com o delegado titular da Draco, Alexandre Herdy, a operação contribui para o combate à máfia da saúde, que, além de lesar o governo, corrompe a gestão pública e afeta o atendimento à população.

No esquema, a Prefeitura do Rio repassava o dinheiro para Biotech e ela teria que fazer a manutenção dos hospitais. Mas os promotores afirmaram que a empresa contratava os fornecedores e pagava um valor mais alto do que os serviços valiam. Os fornecedores devolviam os valores para a organização, que lucrava com a diferença. Em alguns casos, as empresas contratadas nem prestavam os serviços.  A cada R$ 3 milhões recebidos, cerca de R$ 1 milhão foi desviado.

 

io de Janeiro, 09 de dezembro de 2015 -  A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE), em auxílio ao Grupo de Atuação Integrada na Saúde e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro deflagraram, nesta quarta-feira (09/12), a operação “Ilha Fiscal”.  Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão e 16 de busca e apreensão contra quadrilha acusada de fraudar mais de R$ 48 milhões em recursos públicos por meio de contratos com o Município do Rio de Janeiro. Cerca de 20 policiais da DRACO participam da operação.   De acordo com o delegado titular da Draco, Alexandre Herdy, a operação vem contribuir no combate a máfia da saúde, que além de lesar o governo, corrompe a gestão pública e afeta o atendimento à população.  Até o momento, sete acusados foram presos. Foram apreendidos ainda dinheiro em espécie, joias, relógios, carros e documentos.FOTOS: Philippe Lima / SESEG

io de Janeiro, 09 de dezembro de 2015 -  A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE), em auxílio ao Grupo de Atuação Integrada na Saúde e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro deflagraram, nesta quarta-feira (09/12), a operação “Ilha Fiscal”.  Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão e 16 de busca e apreensão contra quadrilha acusada de fraudar mais de R$ 48 milhões em recursos públicos por meio de contratos com o Município do Rio de Janeiro. Cerca de 20 policiais da DRACO participam da operação.   De acordo com o delegado titular da Draco, Alexandre Herdy, a operação vem contribuir no combate a máfia da saúde, que além de lesar o governo, corrompe a gestão pública e afeta o atendimento à população.  Até o momento, sete acusados foram presos. Foram apreendidos ainda dinheiro em espécie, joias, relógios, carros e documentos.FOTOS: Philippe Lima / SESEG

io de Janeiro, 09 de dezembro de 2015 -  A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE), em auxílio ao Grupo de Atuação Integrada na Saúde e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro deflagraram, nesta quarta-feira (09/12), a operação “Ilha Fiscal”.  Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão e 16 de busca e apreensão contra quadrilha acusada de fraudar mais de R$ 48 milhões em recursos públicos por meio de contratos com o Município do Rio de Janeiro. Cerca de 20 policiais da DRACO participam da operação.   De acordo com o delegado titular da Draco, Alexandre Herdy, a operação vem contribuir no combate a máfia da saúde, que além de lesar o governo, corrompe a gestão pública e afeta o atendimento à população.  Até o momento, sete acusados foram presos. Foram apreendidos ainda dinheiro em espécie, joias, relógios, carros e documentos.FOTOS: Philippe Lima / SESEG

io de Janeiro, 09 de dezembro de 2015 -  A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE), em auxílio ao Grupo de Atuação Integrada na Saúde e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro deflagraram, nesta quarta-feira (09/12), a operação “Ilha Fiscal”.  Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão e 16 de busca e apreensão contra quadrilha acusada de fraudar mais de R$ 48 milhões em recursos públicos por meio de contratos com o Município do Rio de Janeiro. Cerca de 20 policiais da DRACO participam da operação.   De acordo com o delegado titular da Draco, Alexandre Herdy, a operação vem contribuir no combate a máfia da saúde, que além de lesar o governo, corrompe a gestão pública e afeta o atendimento à população.  Até o momento, sete acusados foram presos. Foram apreendidos ainda dinheiro em espécie, joias, relógios, carros e documentos.FOTOS: Philippe Lima / SESEG

io de Janeiro, 09 de dezembro de 2015 -  A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE), em auxílio ao Grupo de Atuação Integrada na Saúde e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro deflagraram, nesta quarta-feira (09/12), a operação “Ilha Fiscal”.  Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão e 16 de busca e apreensão contra quadrilha acusada de fraudar mais de R$ 48 milhões em recursos públicos por meio de contratos com o Município do Rio de Janeiro. Cerca de 20 policiais da DRACO participam da operação.   De acordo com o delegado titular da Draco, Alexandre Herdy, a operação vem contribuir no combate a máfia da saúde, que além de lesar o governo, corrompe a gestão pública e afeta o atendimento à população.  Até o momento, sete acusados foram presos. Foram apreendidos ainda dinheiro em espécie, joias, relógios, carros e documentos.FOTOS: Philippe Lima / SESEG

io de Janeiro, 09 de dezembro de 2015 -  A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE), em auxílio ao Grupo de Atuação Integrada na Saúde e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro deflagraram, nesta quarta-feira (09/12), a operação “Ilha Fiscal”.  Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão e 16 de busca e apreensão contra quadrilha acusada de fraudar mais de R$ 48 milhões em recursos públicos por meio de contratos com o Município do Rio de Janeiro. Cerca de 20 policiais da DRACO participam da operação.   De acordo com o delegado titular da Draco, Alexandre Herdy, a operação vem contribuir no combate a máfia da saúde, que além de lesar o governo, corrompe a gestão pública e afeta o atendimento à população.  Até o momento, sete acusados foram presos. Foram apreendidos ainda dinheiro em espécie, joias, relógios, carros e documentos.FOTOS: Philippe Lima / SESEG

io de Janeiro, 09 de dezembro de 2015 -  A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE), em auxílio ao Grupo de Atuação Integrada na Saúde e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro deflagraram, nesta quarta-feira (09/12), a operação “Ilha Fiscal”.  Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão e 16 de busca e apreensão contra quadrilha acusada de fraudar mais de R$ 48 milhões em recursos públicos por meio de contratos com o Município do Rio de Janeiro. Cerca de 20 policiais da DRACO participam da operação.   De acordo com o delegado titular da Draco, Alexandre Herdy, a operação vem contribuir no combate a máfia da saúde, que além de lesar o governo, corrompe a gestão pública e afeta o atendimento à população.  Até o momento, sete acusados foram presos. Foram apreendidos ainda dinheiro em espécie, joias, relógios, carros e documentos.FOTOS: Philippe Lima / SESEG

io de Janeiro, 09 de dezembro de 2015 -  A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (DRACO/IE), em auxílio ao Grupo de Atuação Integrada na Saúde e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro deflagraram, nesta quarta-feira (09/12), a operação “Ilha Fiscal”.  Estão sendo cumpridos nove mandados de prisão e 16 de busca e apreensão contra quadrilha acusada de fraudar mais de R$ 48 milhões em recursos públicos por meio de contratos com o Município do Rio de Janeiro. Cerca de 20 policiais da DRACO participam da operação.   De acordo com o delegado titular da Draco, Alexandre Herdy, a operação vem contribuir no combate a máfia da saúde, que além de lesar o governo, corrompe a gestão pública e afeta o atendimento à população.  Até o momento, sete acusados foram presos. Foram apreendidos ainda dinheiro em espécie, joias, relógios, carros e documentos.FOTOS: Philippe Lima / SESEG

 

Por: Tony Cavalcanti
FOTOS: Philippe Lima / SESEG

 

 

 

Deixe uma resposta

Top