You are here
Home > Esporte

Giovani Santos conquista o tetra na Volta Internacional da Pampulha, em Belo Horizonte

Belo Horizonte- MG, Brasil- 05/12/2015- Vitória com consistência e com o incentivo total da torcida. Assim foi a conquista do mineiro Giovani dos Santos, na 17ª Volta Internacional da Pampulha, realizada na manhã deste domingo (6), em Belo Horizonte (MG). Foi o tetracampeonato do atleta da equipe Pé de Vento/Caixa, que completou os 17.699 metros em torno da Lagoa da Pampulha com o tempo de 52min32seg, confirmando seu grande momento e a condição de um dos melhores nomes do país na atualidade. O tanzaniano Joseph Panga, vice em 2014, repetiu o feito este ano, com a marca de 52min36seg, enquanto o queniano Dickson Cheruiyot foi o terceiro colocado, com 52min38seg No feminino, a vitória foi da Natalia Sulle, da Tanzânia, com 1h03min55seg, seguida pela queniana Gladys Kemboi, com 1h03min56seg. A brasileira Joziane Cardozo, campeã no ano passado, terminou em terceiro lugar, com a marca de 1h04min45seg, sendo a melhor atleta nacional pelo segundo ano consecutivo.  A 17ª edição da Volta Internacional da Pampulha foi especial. Reunindo cerca de 14 mil corredores de todo o país e do exterior, a disputa aconteceu em um domingo de tempo nublado e com temperatura amena, condições bastante favoráveis para os competidores. Isso acabou se confirmando na briga pelo primeiro lugar no masculino e feminino, com disputas bem acirradas pela vitória, que nem mesmo a chuva no final da prova conseguiu estragar. A prova masculina foi um bom exemplo. Após a escapada de José Silva no começo da prova, o pelotão acabou se agrupando, reunindo brasileiros e estrangeiros. A partir do km 11, Giovani, Kemboi e Panga abriram em relação ao demais, travando uma briga particular pela vitória. Mesmo com o aumento do ritmo pelos estrangeiros, o brasileiro soube controlar a situação para arrancar no final e garantir o penta em Belo Horizonte e escrever seu nome da história da prova como o maior campeão de todos os tempos. "Sabia que eles forçariam no final, pois eu ouvi a
Belo Horizonte- MG, Brasil- 05/12/2015- Vitória com consistência e com o incentivo total da torcida. Assim foi a conquista do mineiro Giovani dos Santos, na 17ª Volta Internacional da Pampulha, realizada na manhã deste domingo (6), em Belo Horizonte (MG). Foi o tetracampeonato do atleta da equipe Pé de Vento/Caixa, que completou os 17.699 metros em torno da Lagoa da Pampulha com o tempo de 52min32seg, confirmando seu grande momento e a condição de um dos melhores nomes do país na atualidade. O tanzaniano Joseph Panga, vice em 2014, repetiu o feito este ano, com a marca de 52min36seg, enquanto o queniano Dickson Cheruiyot foi o terceiro colocado, com 52min38seg
No feminino, a vitória foi da Natalia Sulle, da Tanzânia, com 1h03min55seg, seguida pela queniana Gladys Kemboi, com 1h03min56seg. A brasileira Joziane Cardozo, campeã no ano passado, terminou em terceiro lugar, com a marca de 1h04min45seg, sendo a melhor atleta nacional pelo segundo ano consecutivo.
A 17ª edição da Volta Internacional da Pampulha foi especial. Reunindo cerca de 14 mil corredores de todo o país e do exterior, a disputa aconteceu em um domingo de tempo nublado e com temperatura amena, condições bastante favoráveis para os competidores. Isso acabou se confirmando na briga pelo primeiro lugar no masculino e feminino, com disputas bem acirradas pela vitória, que nem mesmo a chuva no final da prova conseguiu estragar.
A prova masculina foi um bom exemplo. Após a escapada de José Silva no começo da prova, o pelotão acabou se agrupando, reunindo brasileiros e estrangeiros. A partir do km 11, Giovani, Kemboi e Panga abriram em relação ao demais, travando uma briga particular pela vitória. Mesmo com o aumento do ritmo pelos estrangeiros, o brasileiro soube controlar a situação para arrancar no final e garantir o penta em Belo Horizonte e escrever seu nome da história da prova como o maior campeão de todos os tempos.

Belo Horizonte- MG, Brasil- 05/12/2015- Vitória com consistência e com o incentivo total da torcida. Assim foi a conquista do mineiro Giovani dos Santos, na 17ª Volta Internacional da Pampulha, realizada na manhã deste domingo (6), em Belo Horizonte (MG). Foi o tetracampeonato do atleta da equipe Pé de Vento/Caixa, que completou os 17.699 metros em torno da Lagoa da Pampulha com o tempo de 52min32seg, confirmando seu grande momento e a condição de um dos melhores nomes do país na atualidade. O tanzaniano Joseph Panga, vice em 2014, repetiu o feito este ano, com a marca de 52min36seg, enquanto o queniano Dickson Cheruiyot foi o terceiro colocado, com 52min38seg No feminino, a vitória foi da Natalia Sulle, da Tanzânia, com 1h03min55seg, seguida pela queniana Gladys Kemboi, com 1h03min56seg. A brasileira Joziane Cardozo, campeã no ano passado, terminou em terceiro lugar, com a marca de 1h04min45seg, sendo a melhor atleta nacional pelo segundo ano consecutivo.  A 17ª edição da Volta Internacional da Pampulha foi especial. Reunindo cerca de 14 mil corredores de todo o país e do exterior, a disputa aconteceu em um domingo de tempo nublado e com temperatura amena, condições bastante favoráveis para os competidores. Isso acabou se confirmando na briga pelo primeiro lugar no masculino e feminino, com disputas bem acirradas pela vitória, que nem mesmo a chuva no final da prova conseguiu estragar. A prova masculina foi um bom exemplo. Após a escapada de José Silva no começo da prova, o pelotão acabou se agrupando, reunindo brasileiros e estrangeiros. A partir do km 11, Giovani, Kemboi e Panga abriram em relação ao demais, travando uma briga particular pela vitória. Mesmo com o aumento do ritmo pelos estrangeiros, o brasileiro soube controlar a situação para arrancar no final e garantir o penta em Belo Horizonte e escrever seu nome da história da prova como o maior campeão de todos os tempos. "Sabia que eles forçariam no final, pois eu ouvi a

Belo Horizonte- MG, Brasil- 05/12/2015- Vitória com consistência e com o incentivo total da torcida. Assim foi a conquista do mineiro Giovani dos Santos, na 17ª Volta Internacional da Pampulha, realizada na manhã deste domingo (6), em Belo Horizonte (MG). Foi o tetracampeonato do atleta da equipe Pé de Vento/Caixa, que completou os 17.699 metros em torno da Lagoa da Pampulha com o tempo de 52min32seg, confirmando seu grande momento e a condição de um dos melhores nomes do país na atualidade. O tanzaniano Joseph Panga, vice em 2014, repetiu o feito este ano, com a marca de 52min36seg, enquanto o queniano Dickson Cheruiyot foi o terceiro colocado, com 52min38seg No feminino, a vitória foi da Natalia Sulle, da Tanzânia, com 1h03min55seg, seguida pela queniana Gladys Kemboi, com 1h03min56seg. A brasileira Joziane Cardozo, campeã no ano passado, terminou em terceiro lugar, com a marca de 1h04min45seg, sendo a melhor atleta nacional pelo segundo ano consecutivo.  A 17ª edição da Volta Internacional da Pampulha foi especial. Reunindo cerca de 14 mil corredores de todo o país e do exterior, a disputa aconteceu em um domingo de tempo nublado e com temperatura amena, condições bastante favoráveis para os competidores. Isso acabou se confirmando na briga pelo primeiro lugar no masculino e feminino, com disputas bem acirradas pela vitória, que nem mesmo a chuva no final da prova conseguiu estragar. A prova masculina foi um bom exemplo. Após a escapada de José Silva no começo da prova, o pelotão acabou se agrupando, reunindo brasileiros e estrangeiros. A partir do km 11, Giovani, Kemboi e Panga abriram em relação ao demais, travando uma briga particular pela vitória. Mesmo com o aumento do ritmo pelos estrangeiros, o brasileiro soube controlar a situação para arrancar no final e garantir o penta em Belo Horizonte e escrever seu nome da história da prova como o maior campeão de todos os tempos. "Sabia que eles forçariam no final, pois eu ouvi a

Belo Horizonte- MG, Brasil- 05/12/2015- Vitória com consistência e com o incentivo total da torcida. Assim foi a conquista do mineiro Giovani dos Santos, na 17ª Volta Internacional da Pampulha, realizada na manhã deste domingo (6), em Belo Horizonte (MG). Foi o tetracampeonato do atleta da equipe Pé de Vento/Caixa, que completou os 17.699 metros em torno da Lagoa da Pampulha com o tempo de 52min32seg, confirmando seu grande momento e a condição de um dos melhores nomes do país na atualidade. O tanzaniano Joseph Panga, vice em 2014, repetiu o feito este ano, com a marca de 52min36seg, enquanto o queniano Dickson Cheruiyot foi o terceiro colocado, com 52min38seg No feminino, a vitória foi da Natalia Sulle, da Tanzânia, com 1h03min55seg, seguida pela queniana Gladys Kemboi, com 1h03min56seg. A brasileira Joziane Cardozo, campeã no ano passado, terminou em terceiro lugar, com a marca de 1h04min45seg, sendo a melhor atleta nacional pelo segundo ano consecutivo.  A 17ª edição da Volta Internacional da Pampulha foi especial. Reunindo cerca de 14 mil corredores de todo o país e do exterior, a disputa aconteceu em um domingo de tempo nublado e com temperatura amena, condições bastante favoráveis para os competidores. Isso acabou se confirmando na briga pelo primeiro lugar no masculino e feminino, com disputas bem acirradas pela vitória, que nem mesmo a chuva no final da prova conseguiu estragar. A prova masculina foi um bom exemplo. Após a escapada de José Silva no começo da prova, o pelotão acabou se agrupando, reunindo brasileiros e estrangeiros. A partir do km 11, Giovani, Kemboi e Panga abriram em relação ao demais, travando uma briga particular pela vitória. Mesmo com o aumento do ritmo pelos estrangeiros, o brasileiro soube controlar a situação para arrancar no final e garantir o penta em Belo Horizonte e escrever seu nome da história da prova como o maior campeão de todos os tempos. "Sabia que eles forçariam no final, pois eu ouvi a

Belo Horizonte- MG, Brasil- 05/12/2015- Vitória com consistência e com o incentivo total da torcida. Assim foi a conquista do mineiro Giovani dos Santos, na 17ª Volta Internacional da Pampulha, realizada na manhã deste domingo (6), em Belo Horizonte (MG). Foi o tetracampeonato do atleta da equipe Pé de Vento/Caixa, que completou os 17.699 metros em torno da Lagoa da Pampulha com o tempo de 52min32seg, confirmando seu grande momento e a condição de um dos melhores nomes do país na atualidade. O tanzaniano Joseph Panga, vice em 2014, repetiu o feito este ano, com a marca de 52min36seg, enquanto o queniano Dickson Cheruiyot foi o terceiro colocado, com 52min38seg No feminino, a vitória foi da Natalia Sulle, da Tanzânia, com 1h03min55seg, seguida pela queniana Gladys Kemboi, com 1h03min56seg. A brasileira Joziane Cardozo, campeã no ano passado, terminou em terceiro lugar, com a marca de 1h04min45seg, sendo a melhor atleta nacional pelo segundo ano consecutivo.  A 17ª edição da Volta Internacional da Pampulha foi especial. Reunindo cerca de 14 mil corredores de todo o país e do exterior, a disputa aconteceu em um domingo de tempo nublado e com temperatura amena, condições bastante favoráveis para os competidores. Isso acabou se confirmando na briga pelo primeiro lugar no masculino e feminino, com disputas bem acirradas pela vitória, que nem mesmo a chuva no final da prova conseguiu estragar. A prova masculina foi um bom exemplo. Após a escapada de José Silva no começo da prova, o pelotão acabou se agrupando, reunindo brasileiros e estrangeiros. A partir do km 11, Giovani, Kemboi e Panga abriram em relação ao demais, travando uma briga particular pela vitória. Mesmo com o aumento do ritmo pelos estrangeiros, o brasileiro soube controlar a situação para arrancar no final e garantir o penta em Belo Horizonte e escrever seu nome da história da prova como o maior campeão de todos os tempos. "Sabia que eles forçariam no final, pois eu ouvi a

Belo Horizonte- MG, Brasil- 05/12/2015- Vitória com consistência e com o incentivo total da torcida. Assim foi a conquista do mineiro Giovani dos Santos, na 17ª Volta Internacional da Pampulha, realizada na manhã deste domingo (6), em Belo Horizonte (MG). Foi o tetracampeonato do atleta da equipe Pé de Vento/Caixa, que completou os 17.699 metros em torno da Lagoa da Pampulha com o tempo de 52min32seg, confirmando seu grande momento e a condição de um dos melhores nomes do país na atualidade. O tanzaniano Joseph Panga, vice em 2014, repetiu o feito este ano, com a marca de 52min36seg, enquanto o queniano Dickson Cheruiyot foi o terceiro colocado, com 52min38seg No feminino, a vitória foi da Natalia Sulle, da Tanzânia, com 1h03min55seg, seguida pela queniana Gladys Kemboi, com 1h03min56seg. A brasileira Joziane Cardozo, campeã no ano passado, terminou em terceiro lugar, com a marca de 1h04min45seg, sendo a melhor atleta nacional pelo segundo ano consecutivo.  A 17ª edição da Volta Internacional da Pampulha foi especial. Reunindo cerca de 14 mil corredores de todo o país e do exterior, a disputa aconteceu em um domingo de tempo nublado e com temperatura amena, condições bastante favoráveis para os competidores. Isso acabou se confirmando na briga pelo primeiro lugar no masculino e feminino, com disputas bem acirradas pela vitória, que nem mesmo a chuva no final da prova conseguiu estragar. A prova masculina foi um bom exemplo. Após a escapada de José Silva no começo da prova, o pelotão acabou se agrupando, reunindo brasileiros e estrangeiros. A partir do km 11, Giovani, Kemboi e Panga abriram em relação ao demais, travando uma briga particular pela vitória. Mesmo com o aumento do ritmo pelos estrangeiros, o brasileiro soube controlar a situação para arrancar no final e garantir o penta em Belo Horizonte e escrever seu nome da história da prova como o maior campeão de todos os tempos. "Sabia que eles forçariam no final, pois eu ouvi a

Belo Horizonte- MG, Brasil- 05/12/2015- Vitória com consistência e com o incentivo total da torcida. Assim foi a conquista do mineiro Giovani dos Santos, na 17ª Volta Internacional da Pampulha, realizada na manhã deste domingo (6), em Belo Horizonte (MG). Foi o tetracampeonato do atleta da equipe Pé de Vento/Caixa, que completou os 17.699 metros em torno da Lagoa da Pampulha com o tempo de 52min32seg, confirmando seu grande momento e a condição de um dos melhores nomes do país na atualidade. O tanzaniano Joseph Panga, vice em 2014, repetiu o feito este ano, com a marca de 52min36seg, enquanto o queniano Dickson Cheruiyot foi o terceiro colocado, com 52min38seg No feminino, a vitória foi da Natalia Sulle, da Tanzânia, com 1h03min55seg, seguida pela queniana Gladys Kemboi, com 1h03min56seg. A brasileira Joziane Cardozo, campeã no ano passado, terminou em terceiro lugar, com a marca de 1h04min45seg, sendo a melhor atleta nacional pelo segundo ano consecutivo.  A 17ª edição da Volta Internacional da Pampulha foi especial. Reunindo cerca de 14 mil corredores de todo o país e do exterior, a disputa aconteceu em um domingo de tempo nublado e com temperatura amena, condições bastante favoráveis para os competidores. Isso acabou se confirmando na briga pelo primeiro lugar no masculino e feminino, com disputas bem acirradas pela vitória, que nem mesmo a chuva no final da prova conseguiu estragar. A prova masculina foi um bom exemplo. Após a escapada de José Silva no começo da prova, o pelotão acabou se agrupando, reunindo brasileiros e estrangeiros. A partir do km 11, Giovani, Kemboi e Panga abriram em relação ao demais, travando uma briga particular pela vitória. Mesmo com o aumento do ritmo pelos estrangeiros, o brasileiro soube controlar a situação para arrancar no final e garantir o penta em Belo Horizonte e escrever seu nome da história da prova como o maior campeão de todos os tempos. "Sabia que eles forçariam no final, pois eu ouvi a

Deixe uma resposta

Top