You are here

A Presidente Dilma Rousseff durante reunião de trabalho do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016

Os governos federal e do estado do Rio chegaram a um acordo sobre a divisão de recursos para cobrir os custos dos geradores que vão abastecer o Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, durante dos Jogos Olímpicos de 2016.

O acerto foi feito durante reunião hoje (10), na sede do Comitê Rio 2016, na Cidade Nova, região central da capital fluminense, entre a presidenta Dilma Rousseff, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão; o prefeito da cidade, Eduardo Paes, e o presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman.

Segundo o secretário de eEstado da Casa Civil do Rio, Leonardo Espíndola, todos os gastos públicos estão abaixo do que foi prometido no dossiê de candidatura do Rio, que era uma obrigação de US$ 230 milhões.

Para cumprir a sua parte no acordo, o governo estadual fará uma renúncia fiscal de R$ 310 milhões para empresas que estão desenvolvendo projetos voltados para as Olimpíadas. Agora, com a nova negociação, com o acréscimo dos geradores, haverá um aumento nos custos. “A gente acha que com esta nova negociação ainda ficaremos abaixo de R$ 230 milhões, mas não deveremos passar de R$170 milhões”, disse.

Para o secretário, a solução atendeu aos três níveis de governo. “É uma solução de consenso como vem sendo em toda a organização dos Jogos Olímpicos, entre a União, o estado e município. A gente entendeu que a reunião foi muito positiva e harmônica. Cada um dos entes dividindo as suas responsabilidades e podendo realizar os Jogos que a cidade e o país merecem”, afirmou.

Rio de Janeiro - Presidenta Dilma Rousseff participa de reunião de trabalho do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 (Roberto Stuckert Filho/PR)
Presidenta Dilma Rousseff, o prefeito Eduardo Paes (E) e o governador Luiz Fernando Pezão (D), durante reunião de trabalho do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016Roberto Stuckert Filho/PR

 

No fim do encontro que serviu também para atualizar a presidenta Dilma Rousseff sobre o andamento das obras e das ações ligadas às Olimpíadas, enquanto cinegrafistas e fotógrafos faziam imagens dos participantes da reunião, a presidenta leu uma lista feita pelo prefeito Eduardo Paes com os “10 Mandamentos das Obras Olímpicas”:

1º deixarás legado para a população em toda cidade;
2º atrairás investimento e viabilizarás melhorias para a cidade mesmo sem relação direta com o evento;
3º priorizarás as áreas mais carentes e a população mais pobre;
4º não gastarás mais em estádios do que em obras para população, principalmente, em saúde e em educação;
5º entregarás mais do que te comprometeste;
6º não desperdiçarás dinheiro público;
7º compartilharás a maior parte dos custos com a iniciativa privada;
8º entregarás uma cidade melhor para os cariocas após os Jogos. E eu acrescento para os brasileiros porque o Rio de Janeiro é de todos e… da galáxia [acrescentou sorrindo].
9º entregarás as obras no prazo;
10º privilegiarás estruturas simples e não deixarás elefantes brancos.

 

 

Rio de Janeiro-RJ, 10/11/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante reunião de trabalho do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR
Rio de Janeiro-RJ, 10/11/2015. Presidenta Dilma Rousseff durante reunião de trabalho do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

 

 

Deixe uma resposta

Top