You are here
Home > Esporte

Removido da pole na prova 2 da Stock Car, Átila Abreu ganha 12 posições em 12 voltas sob bandeira verde e é 5º

Viamão- RS, Brasil- A performance do Chevrolet #51 estava lá. E a estratégia funcionou perfeitamente. Mas, novamente, em virtude de uma punição, a primeira vitória de Átila Abreu e da equipe Mobil Super Racing no ano escapou do vice-campeão de 2014. Depois de largar em oitavo e coordenar com a equipe uma estratégia conservadora na prova 1, priorizando a segunda bateria, o competidor sorocabano teve acrescidos 20 segundos ao seu tempo final de prova. Como consequência, caiu de décimo para 17º no resultado final, perdendo a pole da segunda bateria e a oportunidade de sair de Tarumã como pontuador máximo da etapa.

“Infelizmente me tiraram duas vitórias em duas corridas, mas não adianta falar disso. Já foi. Vamos pensar pra frente”, resumiu o piloto, que na corrida 1 em Curitiba há três semanas perdeu a vitória em decorrência de bandeira preta por uma luz de freio queimada. “O que me deixou contente hoje foi o desempenho. A pista é muito abrasiva e nesse calor a conservação dos pneus é um desafio, especialmente para o meu estilo de pilotagem, mais agressivo. Acredito que fiz o melhor trabalho do grid hoje e saio contente pelo que mostramos.” Depois de saltar de oitavo no grid para sexto na primeira volta, Átila duelou com Vitor Genz logo que o safety-car acionado na volta 8 (o segundo da prova) deixou o traçado. Superado na volta 13, o sorocabano deu o troco na 15. Sete giros mais tarde, foi a vez de Thiago Camilo ser ultrapassado.

Com a janela dos pits aberta, o Chevrolet #51 foi herdando posições até entrar nos pits na última volta autorizada para reabastecimento. Átila era o líder ao passar pelo box, e saiu com três pneus novos e na 12ª posição. A meta então era realizar duas ultrapassagens até a bandeirada, para largar na pole na prova do grid invertido. No giro 34, Átila passou Diego Nunes e Lucas Foresti –este, em manobra na qual os carros se tocaram de leve, permanecendo ambos na competição. Átila recebeu a bandeirada em décimo e nem mesmo os argumentos do piloto do carro #12 de que o contato com o piloto da Mobil Super Racing foi incidente de corrida sensibilizaram os comissários. “Consegui administrar bem a primeira corrida, terminando em décimo e com dez pushes (mais da metade do total para as duas provas). Vinha preservando os pneus e trocamos três na parada, o que deu uma condição muito boa para a prova 2”, completou.

Na segunda corrida, mesmo do fim do grid, ele mostrou que era um dos mais rápidos do fim de semana –aliás, fez a melhor volta do fim de semana na pista da primeira corrida da história de 36 anos da Stock Car. “Então larguei em 17º e, numa corrida com 12 voltas de bandeira verde, com três entradas do safety-car, ainda consegui saltar pra quinto. Se não tivesse entrado o último safety, acho que daria um pódio. Estava em pushes alternados com o Valdeno e ia acionar para ganhar o quarto lugar quando deu a bandeira amarela (e daí seria questão de tempo para passar o Serrinha, que estava mais lento em terceiro)”, acrescentou Átila.

Com os pontos acumulados no RS, ele agora tem 107 no campeonato e ocupa a 14ª posição na tabela. “Fico feliz com meu desempenho pessoal. Os resultados não traduzem o que mostramos em termos de performance, mas saio daqui feliz e com o sentimento de dever cumprido”, finalizou o piloto. A temporada 2015 da Stock Car termina no próximo dia 13 de dezembro em Interlagos, com a prova em bateria única e pontuação dobrada.

 

Viamão- RS- Brasil- 08/11/2015- A performance do Chevrolet #51 estava lá. E a estratégia funcionou perfeitamente. Mas, novamente, em virtude de uma punição, a primeira vitória de Átila Abreu e da equipe Mobil Super Racing no ano escapou do vice-campeão de 2014. Depois de largar em oitavo e coordenar com a equipe uma estratégia conservadora na prova 1, priorizando a segunda bateria, o competidor sorocabano teve acrescidos 20 segundos ao seu tempo final de prova. Como consequência, caiu de décimo para 17º no resultado final, perdendo a pole da segunda bateria e a oportunidade de sair de Tarumã como pontuador máximo da etapa. “Infelizmente me tiraram duas vitórias em duas corridas, mas não adianta falar disso. Já foi. Vamos pensar pra frente”, resumiu o piloto, que na corrida 1 em Curitiba há três semanas perdeu a vitória em decorrência de bandeira preta por uma luz de freio queimada. “O que me deixou contente hoje foi o desempenho. A pista é muito abrasiva e nesse calor a conservação dos pneus é um desafio, especialmente para o meu estilo de pilotagem, mais agressivo. Acredito que fiz o melhor trabalho do grid hoje e saio contente pelo que mostramos.” Depois de saltar de oitavo no grid para sexto na primeira volta, Átila duelou com Vitor Genz logo que o safety-car acionado na volta 8 (o segundo da prova) deixou o traçado. Superado na volta 13, o sorocabano deu o troco na 15. Sete giros mais tarde, foi a vez de Thiago Camilo ser ultrapassado. Com a janela dos pits aberta, o Chevrolet #51 foi herdando posições até entrar nos pits na última volta autorizada para reabastecimento. Átila era o líder ao passar pelo box, e saiu com três pneus novos e na 12ª posição. A meta então era realizar duas ultrapassagens até a bandeirada, para largar na pole na prova do grid invertido. No giro 34, Átila passou Diego Nunes e Lucas Foresti –este, em manobra na qual os carros se tocaram de leve, permanecendo ambos na competição.

Viamão- RS- Brasil- 08/11/2015- A performance do Chevrolet #51 estava lá. E a estratégia funcionou perfeitamente. Mas, novamente, em virtude de uma punição, a primeira vitória de Átila Abreu e da equipe Mobil Super Racing no ano escapou do vice-campeão de 2014. Depois de largar em oitavo e coordenar com a equipe uma estratégia conservadora na prova 1, priorizando a segunda bateria, o competidor sorocabano teve acrescidos 20 segundos ao seu tempo final de prova. Como consequência, caiu de décimo para 17º no resultado final, perdendo a pole da segunda bateria e a oportunidade de sair de Tarumã como pontuador máximo da etapa. “Infelizmente me tiraram duas vitórias em duas corridas, mas não adianta falar disso. Já foi. Vamos pensar pra frente”, resumiu o piloto, que na corrida 1 em Curitiba há três semanas perdeu a vitória em decorrência de bandeira preta por uma luz de freio queimada. “O que me deixou contente hoje foi o desempenho. A pista é muito abrasiva e nesse calor a conservação dos pneus é um desafio, especialmente para o meu estilo de pilotagem, mais agressivo. Acredito que fiz o melhor trabalho do grid hoje e saio contente pelo que mostramos.” Depois de saltar de oitavo no grid para sexto na primeira volta, Átila duelou com Vitor Genz logo que o safety-car acionado na volta 8 (o segundo da prova) deixou o traçado. Superado na volta 13, o sorocabano deu o troco na 15. Sete giros mais tarde, foi a vez de Thiago Camilo ser ultrapassado. Com a janela dos pits aberta, o Chevrolet #51 foi herdando posições até entrar nos pits na última volta autorizada para reabastecimento. Átila era o líder ao passar pelo box, e saiu com três pneus novos e na 12ª posição. A meta então era realizar duas ultrapassagens até a bandeirada, para largar na pole na prova do grid invertido. No giro 34, Átila passou Diego Nunes e Lucas Foresti –este, em manobra na qual os carros se tocaram de leve, permanecendo ambos na competição.

Viamão- RS- Brasil- 08/11/2015- A performance do Chevrolet #51 estava lá. E a estratégia funcionou perfeitamente. Mas, novamente, em virtude de uma punição, a primeira vitória de Átila Abreu e da equipe Mobil Super Racing no ano escapou do vice-campeão de 2014. Depois de largar em oitavo e coordenar com a equipe uma estratégia conservadora na prova 1, priorizando a segunda bateria, o competidor sorocabano teve acrescidos 20 segundos ao seu tempo final de prova. Como consequência, caiu de décimo para 17º no resultado final, perdendo a pole da segunda bateria e a oportunidade de sair de Tarumã como pontuador máximo da etapa. “Infelizmente me tiraram duas vitórias em duas corridas, mas não adianta falar disso. Já foi. Vamos pensar pra frente”, resumiu o piloto, que na corrida 1 em Curitiba há três semanas perdeu a vitória em decorrência de bandeira preta por uma luz de freio queimada. “O que me deixou contente hoje foi o desempenho. A pista é muito abrasiva e nesse calor a conservação dos pneus é um desafio, especialmente para o meu estilo de pilotagem, mais agressivo. Acredito que fiz o melhor trabalho do grid hoje e saio contente pelo que mostramos.” Depois de saltar de oitavo no grid para sexto na primeira volta, Átila duelou com Vitor Genz logo que o safety-car acionado na volta 8 (o segundo da prova) deixou o traçado. Superado na volta 13, o sorocabano deu o troco na 15. Sete giros mais tarde, foi a vez de Thiago Camilo ser ultrapassado. Com a janela dos pits aberta, o Chevrolet #51 foi herdando posições até entrar nos pits na última volta autorizada para reabastecimento. Átila era o líder ao passar pelo box, e saiu com três pneus novos e na 12ª posição. A meta então era realizar duas ultrapassagens até a bandeirada, para largar na pole na prova do grid invertido. No giro 34, Átila passou Diego Nunes e Lucas Foresti –este, em manobra na qual os carros se tocaram de leve, permanecendo ambos na competição.

Viamão- RS- Brasil- 08/11/2015- A performance do Chevrolet #51 estava lá. E a estratégia funcionou perfeitamente. Mas, novamente, em virtude de uma punição, a primeira vitória de Átila Abreu e da equipe Mobil Super Racing no ano escapou do vice-campeão de 2014. Depois de largar em oitavo e coordenar com a equipe uma estratégia conservadora na prova 1, priorizando a segunda bateria, o competidor sorocabano teve acrescidos 20 segundos ao seu tempo final de prova. Como consequência, caiu de décimo para 17º no resultado final, perdendo a pole da segunda bateria e a oportunidade de sair de Tarumã como pontuador máximo da etapa. “Infelizmente me tiraram duas vitórias em duas corridas, mas não adianta falar disso. Já foi. Vamos pensar pra frente”, resumiu o piloto, que na corrida 1 em Curitiba há três semanas perdeu a vitória em decorrência de bandeira preta por uma luz de freio queimada. “O que me deixou contente hoje foi o desempenho. A pista é muito abrasiva e nesse calor a conservação dos pneus é um desafio, especialmente para o meu estilo de pilotagem, mais agressivo. Acredito que fiz o melhor trabalho do grid hoje e saio contente pelo que mostramos.” Depois de saltar de oitavo no grid para sexto na primeira volta, Átila duelou com Vitor Genz logo que o safety-car acionado na volta 8 (o segundo da prova) deixou o traçado. Superado na volta 13, o sorocabano deu o troco na 15. Sete giros mais tarde, foi a vez de Thiago Camilo ser ultrapassado. Com a janela dos pits aberta, o Chevrolet #51 foi herdando posições até entrar nos pits na última volta autorizada para reabastecimento. Átila era o líder ao passar pelo box, e saiu com três pneus novos e na 12ª posição. A meta então era realizar duas ultrapassagens até a bandeirada, para largar na pole na prova do grid invertido. No giro 34, Átila passou Diego Nunes e Lucas Foresti –este, em manobra na qual os carros se tocaram de leve, permanecendo ambos na competição.

 

Foto: Rafael Gagliano/ Hyset

 

 

 

Deixe uma resposta

Top