You are here

Terremoto de 7.5 sacode o Afeganistão e Paquistão

Seis meses após o terremoto que causou cerca de 9.000 mortes no Nepal, em abril. O Paquistão e Afeganistão sofreram hoje o impacto de um terremoto de 7.5 graus, que deixou pelo menos 238 mortos e mais de mil feridos nos dois países.

26-10-2015 TERREMOTO_10

Aguarda-se nas próximas horas, comunicação com áreas isoladas do Afeganistão para obter conhecimento da verdadeira extensão do desastre. Oficiais paquistaneses, disseram que pelo menos 154 pessoas morreram naquele país e mais de mil ficaram feridas.

Foto de Mohámmad Saijad

TERREMOTO 2_10

No Afeganistão, o número total é de 84 mortos, de acordo com fontes locais consultadas pela Efe, mas o governo toma como certo que este número vai aumentar, uma vez que o terremoto ocorreu às 13h30 hora local (09.00 GMT), atingindo áreas na província afegã de Badakhshan nordeste, na fronteira com o Tajiquistão, China e Paquistão.

O chefe do governo afegão, Abdullah Abdullah disse que o governo tem a informação de “um grande número de vítimas do terremoto”, mas observou que “os números exatos ainda estão a ser prestados por agências governamentais” com o qual buscam recuperar comunicações.

“Algumas redes de telefonia desabaram e ainda estamos tentando descobrir como contactar as províncias com as quais temos sido incapazes de estabelecer contato até agora”, disse Abdullah, durante uma reunião de emergência do terremoto.

A província mais atingida até agora é Kunar, no oeste e na fronteira com o Paquistão, que concentra 42 mortos e 67 feridos, embora “novos corpos continuem a aparecer”, disse à Efe, o chefe da polícia regional, Abdul Habib Sayedkhili.

Na província de Badakhshan, o epicentro do terremoto, matou 13 pessoas, disse o chefe do conselho provincial, Abdullah Naji Nazari, e foram registadas mortos em Takhar (12),Nagarhar (8), Laghman (4), Parwan ( 3) e Baghlan (2), de acordo com a Efe.

Abdullah, que descreveu o terremoto como o “mais forte” sentido no Afeganistão “nas últimas décadas”, disse esperar por outros tremores, por isso pediu à população para permanecer em lugares ao ar livre.

O primeiro-ministro acrescentou que os “parceiros internacionais” do Executivo estão trabalhando em esforços de socorro e Cabul pediu a cooperação de agências humanitárias na prestação de ajuda.

No Paquistão, a província de Khyber Pakhtunkhwa, que faz fronteira com o Afeganistão, foi a mais atingida e foram contabilizados pelo menos 123 mortos e 956 feridos, de acordo com o CEO do escritório de relações públicas do Exército (ISPR, em Inglês) disse, Asim Bajwal, em sua conta oficial no Twitter.

Nas Áreas Tribais Administradas Federalmente (FATA), também na fronteira com o Afeganistão, 21 pessoas foram mortas e cinqüenta feridas, disse a porta-voz da Efe, Autoridade em Gestão de Desastres, Adil Zahoor.

Na província de Gilgit, 6 pessoas morreram, segundo a televisão estatal disse, o ministro da Informação Pervez Rashid, que também confirmou três mortes em Punjab e uma na Caxemira paquistanesa.

Diversas fontes relatam o colapso de centenas de edifícios na área de Kurram e Khyber, onde há também pelo menos 194 feridos internados em hospitais em Peshawar.

A mídia local mostra cenas de pânico nas ruas após o terremoto, que teve pelo menos três tremores de menos de 5.0 graus.

Após agitação, o governo paquistanês ordenou a mobilização de todas as agências no país e o Exército anunciou que lançou uma operação de resgate.

O terremoto foi sentido em toda a região, incluindo o norte da Índia, país em que pelo menos duas pessoas morreram e duas ficaram feridas.

Fonte de pesquisa USGS.

Deixe uma resposta

Top