You are here
Home > Esporte

“MUITO MAIS QUE O DINHEIRO”. THIAGO CAMILO VENCE A CORRIDA DO MILHÃO EM GOIÂNIA

Terceira vitória para o piloto paulistano, que superou o acidente da etapa anterior e mesmo não estando 100% fisicamente, faturou um milhão de reais. Daniel Serra e Ricardo Zonta completaram o pódio em Goiânia

fef-7472

 

 

No ano passado o milhão escapou por 0s186, que foi a diferença para o vencedor da Corrida do Milhão de 2014, Rubens Barrichello, para Thiago Camilo. Mas neste domingo (16) em Goiânia (GO) a vibração do piloto da Ipiranga-RCM tinha muito mais a ver com o dinheiro: em sua primeira corrida após o acidente ocorrido na etapa anterior em Curitiba (PR), ainda sem todas as condições físicas ideais e com o tornozelo esquerdo bastante inchado em consequência da séria batida, Thiago Camilo largou da 12ª posição para vencer a Corrida do Milhão pela terceira vez na carreira.

“Significa muito mais do que um milhão, sem dúvida. Foi uma corrida especial. A gente nunca deixou de acreditar, então quero agradecer a Deus, que me livrou não só no acidente de Curitiba, que foi o mais grave da minha carreira, e sair de lá só com o pé machucado foi um livramento muito grande”, afirmou o vencedor, que vem passando por sessões de fisioterapia e na última delas, ainda na terça-feira, disse que nem uma sapatilha tamanho 55 caberia em seu pé esquerdo, tamanho o inchaço. Tanto que sua presença na sétima etapa do Circuito Schin Stock Car só foi confirmada na quinta-feira.

Dizendo-se não 100% fisicamente, mas “200% motivado”, Camilo fez questão de agradecer a equipe médica da categoria e a RCM. “A vitória é deles, pois se eles não tivessem feito um carro bem preparado com tamanha dedicação não seria possível vencer a corrida”, afirmou. “A vitória foi construída passo a passo. Fiz uma largada muito boa em que tudo encaixou e deu certo, e pulei de 12º para quarto na primeira curva. Eu sabia que tinha um carro muito bom. Praticamente eu larguei em quarto, porque passei muita gente e foi o que colaborou para a vitória. Eu tinha um ritmo melhor que o do Ricardo (Maurício, que abandonou a prova por problemas mecânicos), melhor que do Daniel (Serra), a equipe foi muito bem no pit stop, passei o Daniel, o Ricardinho teve problema, e foi isso”, concluiu.

Daniel Serra dava toda a pinta de que beliscaria o milhão. Após a má largada do pole position Marcos Gomes, que caiu para a sexta posição já na saída, Serrinha liderou a corrida até a rodada de pit stops. Ele disse que a Red Bull optou por colocar mais combustível na parada, mas isso não foi determinante no resultado. “Eu tinha um ritmo muito bom, mas vi que o Thiago estava mais rápido. Ele acabou saindo na frente no pit stop, mas de qualquer forma seria difícil de segurá-lo porque ele estava muito rápido. No final ainda tive um probleminha de câmbio com as reduções de marcha”, revelou.

Embora não tenha vencido o milhão, Daniel destaca que saiu no lucro. “Lógico que eu queria ganhar o milhão: quem não queria ganhar um milhão de reais em 45 minutos?”, questionou. “Mas para o campeonato foi ótimo; pulamos para a segunda posição, diminuímos a diferença para o líder e a Corrida do Milhão passou, mas o campeonato continua”, disse Serra, que soma 133 pontos contra 158 do líder Marcos Gomes, que chegou em quarto depois de sair na pole.

Ricardo Zonta foi o terceiro colocado. Vencedor da Corrida do Milhão de 2013, o curitibano da Shell Racing enfrentou algumas dificuldades já no estágio inicial da prova. “Meu carro começou a falhar em saídas de curva à direita – talvez tenha entrado alguma sujeira nos bicos do motor – e aí comecei a sair de curva usando uma marcha acima para que isso não me prejudicasse tanto. Foi ali que o Thiago (Camilo) me passou, mas tirando isso o acerto estava muito bom. Optamos por uma estratégia boa e segura, e nosso ritmo era bom. Se tivéssemos arriscado abastecer por dois segundos a menos no pit stop, talvez teríamos saído dos boxes junto com o Thiago e ali a briga ficaria para o final”, teorizou.

O pole position Marcos Gomes terminou em quinto depois de intensa briga com Valdeno Brito, que acabou em sétimo. Felipe Fraga, também de volta após o acidente de Curitiba, fez boa corrida para terminar em quinto, logo à frente de Max Wilson. Rafa Matos, Cacá Bueno e Diego Nunes fecharam os dez primeiros.

Rubens Barrichello, que largou em terceiro e vinha com a disposição de repetir a vitória do ano passado, fez uma largada ruim, caiu várias posições e foi subindo no pelotão até ser penalizado com um drive-through por ultrapassar o limite de velocidade nos boxes. Terminou apenas em 20º lugar.

O Circuito Schin Stock Car volta à ativa em duas semanas, com a oitava etapa a ser realizada em Cascavel (PR), no dia 30 de agosto.

Resultado da Corrida do Milhão:
1 – 21 – Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – 31 voltas em 46min27s609
2 – 29 – Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 2s245
3 – 10 – Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 2s822
4 – 80 – Marcos Gomes (Voxx Racing Team) – a 8s354
5 – 88 – Felipe Fraga (Voxx Racing Team) – a 11s248
6 – 65 – Max Wilson (Eurofarma RC) – a 12s174
7 – 77 – Valdeno Brito (Shell Racing) – a 12s189
8 – 2 – Rafa Matos (Schin Racing Team) – a 21s979
9 – 0 – Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 23s339
10 – 70 – Diego Nunes (Vogel Motorsport) – a 24s964
11 – 51 – Átila Abreu (AMG Motorsport) – a 27s207
12 – 11 – Cesar Ramos (Total Racing) – a 27s397
13 – 12 – Lucas Foresti (AMG Motorsport) – a 28s996
14 – 28 – Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 31s716
15 – 25 – Tuka Rocha (União Química Racing) – a 31s121
16 – 4 – Júlio Campos (Prati-donaduzzi) – a 33s775
17 – 1 – Antonio Pizzonia (Prati-donaduzzi) – a 36s454
18 – 46 – Vitor Genz (Boettger Competições) – a 40s584
19 – 8 – Rafael Suzuki (RZ Motorsport) – a 44s275
20 – 111 – Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 47s143
21 – 5 – Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 48s382
22 – 72 – Fábio Fogaça (Hot Car Competições) – a 1min00s204
23 – 777 – Pedro Boesel (Boettger Competições) – a 1min19s530
24 – 83 – Gabriel Casagrande (Axalta C2 Team) – a 1 Volta
25 – 9 – Gustavo Lima (ProGP) – a 1 Volta
26 – 110 – Felipe Lapenna (Schin Racing Team) – a 1 Volta
27 – 26 – Raphael Abbate (Hot Car Competições) – a 2 Voltas
NÃO COMPLETARAM 75%
28 – 3 – Bia Figueiredo (União Química Racing) – a 9 Voltas
29 – 74 – Popó Bueno (Total Racing) – a 9 Voltas
30 – 90 – Ricardo Maurício (Eurofarma RC) – a 11 Voltas
31 – 14 – Luciano Burti (RZ Motorsport) – a 16 Voltas
32 – 73 – Sergio Jimenez (Axalta C2 Team) – a 16 Voltas
33 – 18 – Allam Khodair (Full Time Sports) – a 25 Voltas
Melhor volta: Daniel Serra – 1min24s549
Resultados sujeitos a confirmação

Deixe uma resposta

Top