You are here
Home > Notícias

Senadores Brasileiros que estão em Caracas na Venezuela são impedidos de circular pelas ruas da cidade

Um grupo de senadores brasileiros ficou sitiado por três horas no aeroporto de Caracas, impedido de circular na cidade, em razão de ruas bloqueadas, a pretexto da “transferência de um preso”. O regime de Nicolás Maduro também destacou suas milícias para “protestar” contra a presença dos senadores.

A hostilidade ocorreu logo depois de os senadores deixarem a base aérea, onde tiveram que “furar” o cerco dos batedores. Segundo o senador Cássio Cunha Lima, ao ingressarem no ônibus, batedores tentaram conduzir o grupo diretamente para o presídio, impedindo desta forma que os parlamentares fossem recebidos pelas esposas dos políticos presos e pela imprensa que aguardava o grupo no saguão do aeroporto.

A comitiva pretende chegar ao presídio para tentar visitar Leopoldo López, preso por atuar como líder oposicionista ao governo venezuelano Nicolás Maduro.

María Corina Machado conversa com policiais enquanto Senadores Brasileiros que estava em Caracas na Venezuela são impedidos de circular pelas ruas da cidade. Foto: Twitter/ Deputada María Corina Machado
María Corina Machado conversa com policiais enquanto Senadores Brasileiros que estava em Caracas na Venezuela são impedidos de circular pelas ruas da cidade. Foto: Twitter/ Deputada María Corina Machado
Senadores Brasileiros que estava em Caracas na Venezuela são impedidos de circular pelas ruas da cidade. Foto: Twitter/ Deputada María Corina Machado
Senadores Brasileiros que estava em Caracas na Venezuela são impedidos de circular pelas ruas da cidade. Foto: Twitter/ Deputada María Corina Machado
Deputada María Corina Machado, conversa com senadores Brasileiros que estava em Caracas na Venezuela são impedidos de circular pelas ruas da cidade. Foto: Twitter/ Deputada María Corina Machado
Deputada María Corina Machado, conversa com senadores Brasileiros que estava em Caracas na Venezuela são impedidos de circular pelas ruas da cidade. Foto: Twitter/ Deputada María Corina Machado

Por Tony Cavalcanti

Deixe uma resposta

Top