You are here

Explosão Solar de Massa Coronal R1 em direção a Terra

Mancha Solar na região 12.371 produziu um alargamento em explosão de longa-duração R1, por volta de 17 UTC em 18 de junho de 2015. Este evento também produziu uma considerável ejeção de massa coronal conforme análise executada pelos modelos WSA-Enlil, ambos indicam que será produzido um sopro em direção a Terra. Poderá ser emitindo um alerta de tempestade geomagnética G1 para o dia 22 de Junho de 2015.

SOL_latest

Segundo as explicações cientificas, a erupção (flare ou rajada), é uma explosão solar que acontece quando uma gigantesca quantidade de energia armazenada em campos magnéticos, geralmente acima das manchas solares, é repentinamente liberada. Os flares produzem forte emissão de radiação que se espalha por todo o espectro eletromagnético e se propaga desde a região das ondas de rádio até a região dos raios X e raios gama. Quando observadas dentro do espectro de raios-x, entre 1 e 8 Angstroms, os flares produzem um intenso brilho ou clarão e sua intensidade que permite classificar o fenômeno. Os flares de Classe X são intensos e durante os eventos de maior atividade podem provocar blackouts de radio propagação que podem durar diversas horas ou até mesmo dias. Em casos extremos podem causar colapso em sistemas de distribuição de energia elétrica, panes em satélites, destruir transformadores e circuitos eletrônicos.

RADIAÇÃO SOLAR 2015_06_02

 

Atividade Solar está em níveis moderados. Região 2371 (N12E33, a Ekc/beta-gamma-delta) produziu um longa-duração, M3/1n flare em 18/1736 UTC. A região cresceu e foi observado uma maior complexidade. O assimétrico, cheio de massa halo ejeção coronal (CME) foi observada pela primeira vez no SOHO/LASCO C2 18/1724 imagens em UTC. Análise e a WSA-Enlil execução do modelo, apontam uma provável chegada da massa coronal no final 21 Jun/início 22 jun.

Fonte de pesquisa NASA

Deixe uma resposta

Top