You are here
Home > Esporte

Mundial de Motovelocidade – O ex-campeão Jorge “Aspar” Martinez enfrenta problemas com o fisco e em que medida isso pode nos afetar…

Aspar no auge, bicampeão mundial  em 1988…

O tetracampeão mundial de motovelocidade (1986, 87 e 88 nas 80cc e 1988 nas 125cc) Jorge “Aspar” Martinez, de 52 anos, é um espanhol que gosta de ousadia dentro e fora das pistas. Sua equipe, formada em 1992, quando ele ainda corria,  é muito forte, e conquistou 4 títulos mundiais na classe menor, em 2006 com Alvaro Bautista, 2007 com Gabor Talmacsi, 2009 com Julian Simón e 2011 com Nico Terol, além de dois campeonatos  na CRT, subclasse da MotoGP, em 2012 e 2013, com Aleix Espargaró.

No FIM Awards 2014, o baile de gala da Federação Internacional de Motociclismo…

É notável o Aspar mudando de camisa a cada categoria, compondo com patrocinadores diversos para ter a única equipe privada com presença nas três cilindradas do Mundial de Motovelocidade.

Um 2014 de altos e baixos para o ex-campeão…

Em 2014 o ano foi razoável na MotoGP (com Nicky Hayden e Hiroshi Aoyama)  e na Moto3 (com JuanFran Guevara). Na Moto2, porém, seus pilotos, Nico Terol e Jordi Torres, desapontaram, foram demitidos e a presença na classe intermediária foi extinta.

Laverty deixa o Mundial de Superbike para suceder o ex-campeão das 250 (2009) Hiroshi Aoyama…

Há poucos dias, Jorge falou animado sobre os planos para 2015, com o ex-campeão Hayden e o novato Eugene Laverty pilotando as novas Honda da Classe Aberta e um trio de pilotos na Moto3, onde Guevara terá a companhia de Francsco “Pecco” Bagnaia, ex-VR46, e Jorge Martin, campeão do Rookies Cup, ótimo celeiro de craques da motovelocidade.

Aspar com Mufadaal Choonia e Prakash Shukla, da Mahindra…

O equipamento mudou, da KTM para a indiana Mahindra, em um contrato milionário como equipe oficial, com uma moto competitiva e em evolução. No campeonato espanhol – CEV, desde 2013 havia um vínculo forte com a VR46 Riders Academy, de Valentino Rossi,  para o desenvolvimento de novos talentos, e o meio-irmão do multicampeão, Luca Marini, competiu na Aspar este ano.

Camps e Martinez em evento da Fórmula 1…

Tava tudo muito bom, tudo muito bem, mas realmente… O mundo começou a desabar. A  Fiscalía Anticorrupçión (sem equivalente no Brasil, infelizmente)  acusou Francisco Camps, ex-presidente da Comunidade Valenciana, Dolores “Lola”  Johnson, ex-conselheira e Aspar Martinez de malversação de fundos, prevaricação (deixar de praticar ato legal por  interesse ou sentimento pessoal) e delito societário na aquisição das cotas da empresa Valmor Sports, que organiza o GP de Valência de Fórmula 1. A empresa de Martinez foi comprada por um simbólico euro, e assumiu  compromissos no valor de 34 milhões de euros, quitados  com dinheiro público, que também pagou a cota anual de Bernie Ecclestone para sediar o GP.

Lola: no sabia…

Isso na prática  – e na representação apresentada pela Fiscalía – configurou o resgate público de uma empresa privada, ou seja, crime. Segundo Vicente Torres, da Fiscalía, a empresa não tinha condições, estrutura e licença para organizar corridas de automóveis, mas faturou 14 milhões de euros na corridas e não pagou absolutamente nada aos cofres públicos da Comunidade Valenciana.

Rossi e Aspar nos bons tempos…

Depois da divulgação da denúncia, Valentino Rossi resolveu se afastar de Aspar, passando a alojar Luca Marini na estrutura do ex-bicampeão das 250 Sito Pons. Segundo a VR46, a decisão se baseou no fato de Luca ter terminado o CEV em longínqua 16ª colocação, mas rumores dão conta de que a questão com o fisco pesou bastante, até porque Rossi, gato escaldado em problemas fiscais, não quer mais confusão para o lado dele – e do irmão.

Aspar, Eric e o ex-bicampeão da Fórmula 1 Emerson Fittipaldi…

Para nós, brasileiros, a preocupação é grande em relação a um possível vínculo entre Aspar e o piloto brasileiro Eric Granado, que em 2013 divulgou a assinatura de um contrato de 6 anos com o ex-campeão mundial e sua equipe. Eric esteve um ano no time Aspar, em 2014 foi emprestado ao Team Calvo Laglisse e, depois de divulgar sua permanência no time campeão do mundo do ano passado em 23 de outubro, acabou preterido em favor da espanhola Maria Herrera dias depois, em 9 de novembro.

Eric, Isaac Viñales e Jakob Kornfeil, o trio da Calvo este ano. Apenas Viñales continua em 2015…

Se Eric, que até o momento não definiu seu futuro,  continua obrigado a cumprir o contrato de 2013 e não foi aproveitado na equipe de Martinez e na Calvo, suas opções são muito restritas no cenário internacional.

Santo, Eric e Pablo Nieto juntos na garagem da Calvo este ano…

Consultado, o  ex-piloto Santo Feltrin, que organiza a carreira de Eric,assegura que esse contrato terminou esse ano e em janeiro  Eric Granado irá apresentar um  plano de ação abrangente para 2015.

Eric com Nicole, a irmã…

Deixe uma resposta

Top