You are here

Ouro na Copa Brasil de Luta Olímpica, Aline Silva comemora: “Foi uma preparação para os Jogos Rio 2016”

A menos de dois anos para os Jogos, 164 atletas de oito países se reuniram no Rio para disputar o campeonato

Primeira brasileira a conquistar uma medalha no campeonato mundial, Aline Silva encerrou a temporada com o título da Copa Brasil (Foto: Rio 2016/Mathilde Molla)

Alguns dos principais nomes da luta estilo livre e greco-romana  protagonizaram neste fim de semana, no Rio, uma “prévia” do que vem por aí em 2016. A 11ª edição da Copa Brasil de Luta Olímpica reuniu 164 atletas de oito países nos tatames do Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (CEFAN), um dos locais de treinamento pré-Jogos. Vice-campeã mundial na categoria até 75kg na luta estilo livre, Aline Silva conquistou o ouro e se prepara agora para brigar pela primeira medalha Olímpica da luta brasileira.

“Competir em casa é muito gostoso e, para mim, foi o diferencial da Copa Brasil. Ter o apoio dos torcedores e dos amigos me dá uma força extra. De certa forma, já foi uma preparação para os Jogos Rio 2016. Quero muito conquistar o ouro”, comemora Aline, terceira colocada no ranking mundial.

 “2014 foi o melhor ano da minha carreira e 2015 será muito importante. Não posso controlar os resultados, mas fazer uma boa preparação e treinar forte todos os dias só depende de mim, então meu foco é nisso”, acrescenta a brasileira, que além da prata no mundial conquistou também o ouro nos Jogos Sul-Americanos, no Grand Prix de Paris e no campeonato mundial militar em 2014.

Competição no Rio de Janeiro reuniu 164 atletas de nove países no CEFAN (Foto: Rio 2016/Alex Ferro)

Além do Brasil, Argentina, Canadá, Cazaquistão, Chile, Equador, Estados Unidos, Peru, Rússia e Suécia participaram da Copa Brasil. Medalhista de bronze na categoria até 120kg da luta greco-romana em Londres 2012, o sueco Johan Eurén trabalha para chegar ao topo do pódio nos Jogos de 2016. O gigante de 29 anos e 1,92m saiu satisfeito com sua primeira experiência no país após vencer a competição.

“Quero conquistar minha segunda medalha Olímpica em 2016 e quero que ela seja melhor do que foi a primeira. Foi bom vir ao Rio antes dos Jogos, pois já experimentamos o clima da cidade e entendemos melhor como nos adaptar mais facilmente ao fuso horário. Isso nos ajudará em 2016”, comenta o sueco, lembrando que não há uma receita para a preparação.

“Não há uma receita para se preparar bem para os Jogos. Tudo pode acontecer e isso é uma das coisas mais interessantes do esporte. Eu quase não fui aos Jogos de Londres e terminei com o bronze, enquanto o atleta que era o favorito na minha categoria sequer se classificou”, relembra o terceiro colocado do ranking mundial.

Principal potência mundial no esporte, a equipe feminina de luta estilo livre do Japão, que conquistou três medalhas de ouro em Londres 2012, marcou presença na competição com uma jovem geração de atletas. Sob o comando do experiente técnico-chefe Shigeo Kinase, a delegação conquistou três ouros e aprovou a visita ao Rio.

“Foi minha primeira vez no Brasil e não sabia bem o que esperar, mas gostei muito do clima, da comida e agradeço a gentileza das pessoas. Trouxemos atletas mais jovens para a Copa Brasil e foi uma ótima experiência, pois todos participaram de lutas de alto nível técnico. Tenho esperanças de que possamos conquistar as seis medalhas de ouro que estarão em jogo na luta estilo livre”, diz, animado, Shigeo Kinase.

Sueco Johan Eurén conquistou o bronze em Londres 2012 e sonha com o ouro nos Jogos Rio 2016 (Foto: Rio 2016/Mathilde Molla)
Do Equador, Lissete Antes também destaca a importância do “treino” no Rio. Representante de seu país nos Jogos de Londres, quando foi eliminada nas quartas de final, e quinta colocada no ranking mundial, ela sonha fazer história na primeira edição dos Jogos Olímpicos da América do Sul.

“Poder treinar e competir com atletas de outros países é uma parte importante da minha preparação. Quero muito competir no Rio e lutar por uma medalha. Vai ser especial disputar os Jogos na América do Sul e tenho certeza que os Jogos do Rio serão ainda mais incríveis”, aposta a equatoriana, que compete na categoria até 58kg da luta estilo livre e levou o ouro na Copa Brasil.

Rival de Lissete na decisão da mesma categoria, a canadense Justine Bouchard trabalha para garantir sua primeira participação Olímpica nos Jogos Rio 2016. Medalhista de bronze nos campeonatos mundiais de 2009 e 2012 na categoria até 63kg, a atleta de 28 anos se diz encantada com o Rio e sonha com um retorno em grande estilo em 2016.

“Esta experiência teve um grande valor para mim. Foi minha segunda vez no Rio e eu amo a cidade. Vir aqui pela primeira vez para disputar os Jogos poderia causar uma fascinação enorme, porque é um lugar lindo, e vou evitar um pouco isso já tendo conhecido o Rio antes. Quero disputar os Jogos pela primeira vez em 2016 e meu sonho é chegar ao pódio”, diz a canadense.

Ao todo, 344 atletas participarão dos Jogos Olímpicos Rio 2016 na luta estilo livre e na luta greco-romana. O processo classificatório será iniciado em 2015 e o Brasil, como país-sede, já tem quatro vagas garantidas. Cada país poderá ter somente um representante em cada categoria.

Brasileira Josimara Julio e canadense Michele Fazzari em ação durante a Copa Brasil de Luta Olímpica (Foto: Rio 2016/Alex Ferro)

Deixe uma resposta

Top